Tag Archives: João Dória

Vereador Rogério busca recuperar recurso para a construção do Parque Linear em Ribeirão Pires

“Esse cancelamento pode trazer uma série de complicações.  Estes recursos já estavam no orçamento, já foi aprovado e já está em execução”, vereador Rogério

O vereador Rogério Luiz (PSB) entrou em contato com o deputado estadual Júnior Aprillanti solicitando apoio político para reverter a decisão do governador João Doria que através de um Decreto publicado no último dia 19 de janeiro cancelou Convênios para investimentos no setor do Turismo em diversos municípios do Estado, entre eles o que trata do Parque Linear em Ribeirão Pires.

Segundo informou o vereador Rogério Luiz ao Repórter ABC, foram duas conversas com Júnior Aprillanti no início de 2018, enquanto o parlamentar estava no comando da Secretaria de Turismo.

Vereador Rogério Luiz em audiência com o ex-secretário de Turismo do Estado, Júnior Aprillanti

“Participei de duas reuniões com o então Secretário de Turismo, Júnior Aprillanti, sendo nos meses de fevereiro e março de 2018. Na oportunidade apresentamos algumas demandas para Ribeirão Pires e também tratamos da possibilidade de obtenção de recursos para a criação de um Parque Linear na cidade. Após o prefeito Kiko assumiu as negociações e viabilizou os recursos através do Fundo de Melhoria dos Municípios Turísticos (Fumtur). Entendemos que o cancelamento não é correto uma vez que trata-se de uma transferência Fundo a Fundo e transferência Fundo a Fundo prevista em texto constitucional como é o caso do Fundo de Melhoria dos Municípios Turísticos uma vez assinado ele não pode ser desfeito nem mesmo sob a alegação de contingenciamento, até mesmo porque o dinheiro do Fundo não nada a ver com o dinheiro estadual. Vamos cobrar do governo do estado para que reveja essa situação”, disse o vereador Rogério.

“Esse cancelamento pode trazer uma série de complicações ao município uma vez que e essa decisão do governo retroativa de forma extemporânea, uma vez que estes recursos estavam no orçamento, já foi aprovado e já está em execução”, argumentou o vereador.

O Parque Linear compreende a reestruturação e revitalização do entorno do Ribeirão Grande, situado na Avenida Prefeito Valdírio Prisco – do trecho que vai do Completo Ayrton Senna até a altura do Jardim Panorama. Após a assinatura do convênio nessa tarde, a Prefeitura iniciará a etapa de licitação da obra do Parque. Para saber mais, clique aqui.

O cancelamento dos convênios com as Estâncias Turísticas é datado de 18 de janeiro de 2019 e foi publicada no Diário Oficial do último dia 19, ver abaixo.

João Doria autoriza reajuste de tarifas de linhas intermunicipais e do Corredor ABD

Foi publicado no Diário Oficial, nesta sexta-feira (18), o reajuste na tarifa das linhas intermunicipais e também do trólebus que já estão em vigor desde o domingo (20), as viagens pelo Corredor ABD estarão 10,41% mais caras. Também haverá reajuste na integração nos terminais Piraporinha e Diadema.

O valor da passagem para as linhas do Corredor ABD passaram de R$ 4,30 para R$ 4,80 tanto no tarifa comum quanto no vale transporte. Em relação ao Cartão BOM Escolar, o preço passará de R$ 2,15 para 2,40. Nos dois terminais localizados em Diadema a integração para quem deixa as linhas municipais para acessar o trólebus passará de R$ 1 para R$ 1,10. No caso de quem realiza a baldeação contrária não haverá cobrança.

Em relação as linhas intermunicipais, os reajustes variam entre R$ 0,15 e R$ 0,25. As linhas com os valores mais baixos são: C-493TRO (Santo André – Príncipe de Gales / São Paulo – Terminal Sacomã) e C-493DV1 – (Santo André – Príncipe de Gales / São Paulo – Terminal Sacomã – via Santo André-Fundação Santo André) que passará dos atuais R$ 5,25 para R$ 5,45.

As linhas com o preço mais alto são: C-063EX1 (Rio Grande da Serra – Santa Tereza / São Paulo – Terminal Sacomã) e C-063TRO (Ribeirão Pires – Ouro Fino Paulista / São Paulo – Terminal Sacomã – via Jardim Santa Luzia) que passaram de R$ 6,95 para R$ 7,20.

Confira abaixo todos os reajustes das linhas intermunicipais:

LINHA EMPRESA DENOMINAÇÃO TARIFA 2018 TARIFA 2019
C-004TRO
RIACHO GRANDE
SÃO BERNARDO (PQ. ALVARENGA) –
SÃO PAULO (TERMINAL SACOMÃ) VIA SÃO BERNARDO (JARDIM LAURA)
R$ 6,20
R$ 6,45
C-006TRO
MOBIBRASIL
SÃO BERNARDO (JARDIM NAZARETH) –
SÃO PAULO (TERMINAL SACOMÃ) VIA SÃO BERNARDO (PAULICEIA)
R$ 5,65
R$ 5,85
C-008TRO
TUCURUVI
SÃO CAETANO (NOVA GERTI) – SÃO PAULO (TERMINAL SACOMÃ)
R$ 4,75
R$ 4,90
C-063EX1
RIBEIRÃO PIRES
RIO GRANDE DA SERRA (SANTA TEREZA) – SÃO PAULO (TERMINAL SACOMÃ)
R$ 6,95
R$ 7,20
C-063TRO
RIBEIRÃO PIRES
RIBEIRÃO PIRES (OURO FINO PAULISTA) –
SÃO PAULO (TERMINAL SACOMÃ) VIA RIBEIRÃO PIRES (JARDIM SANTA LUZIA)
R$ 6,95
R$ 7,20
C-066TRO
PUBLIX
SANTO ANDRÉ (J. LAS VEGAS) –
SÃO PAULO (TERMINAL SACOMÃ) VIA SANTO ANDRÉ (JARDIM ALVORADA)
R$ 6,80
R$ 7,05
C-123TRO
TUCURUVI
SÃO CAETANO (TERMINAL RODOVIÁRIO NICOLAU DELIC) –
SÃO PAULO (TERMINAL SACOMÃ) VIA SÃO PAULO (SÃO JOÃO CLIMACO)
R$ 4,75
R$ 4,90
C-152TRO
RIACHO GRANDE
SÃO BERNARDO (ÁREA VERDE) –
SÃO PAULO (TERMINAL SACOMÃ) VIA RODOVIA ANCHIETA
R$ 6,20
R$ 6,45
C-153TRO
RIACHO GRANDE
SÃO BERNARDO (CONJ. TERRA NOVA II) –
SÃO PAULO (TERMINAL SACOMÃ) VIA SÃO BERNARDO (AV. SENADOR VERGUEIRO)
R$ 6,20
R$ 6,45
C-154TRO
MOBIBRASIL
SÃO BERNARDO (JARDIM NAZARETH) –
SÃO PAULO (TERMINAL SACOMÃ) VIA SÃO BERNARDO (RUDGE RAMOS)
R$ 6,20
R$ 6,45
C-158TRO
EAOSA
MAUÁ (JARDIM ZAÍRA) – SÃO PAULO (TERMINAL SACOMÃ)
R$ 6,80
R$ 7,05
C-160TRO
EAOSA
MAUÁ (JARDIM ADELINA) – SÃO PAULO (TERMINAL SACOMÃ) VIA MAUÁ (ITAPARK)
R$ 6,80
R$ 7,05
C-212TRO
MOBIBRASIL
DIADEMA (JARDIM SAPOPEMBA) –
SÃO PAULO (TERMINAL SACOMÃ) VIA DIADEMA (SERRARIA E JARDIM CAMPANÁRIO)
R$ 5,65
R$ 5,85
C-236TRO
MOBIBRASIL
DIADEMA (TERMINAL METROPOLITANO PIRAPORINHA) –
SÃO PAULO (TERMINAL SACOMÃ) VIA VILA NOGUEIRA E JD. CANHEMA
R$ 5,65
R$ 5,85
C-431TRO
RIACHO GRANDE
SÃO BERNARDO (JD. LAS PALMAS) – SÃO PAULO (TERMINAL SACOMÃ)
R$ 6,20
R$ 6,45
C-493DV1
VIPE
SANTO ANDRÉ (PRÍNCIPE DE GALES) –
SÃO PAULO (TERMINAL SACOMÃ) – VIA SANTO ANDRÉ (FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ)
R$ 5,25
R$ 5,45
C-493TRO
VIPE
SANTO ANDRÉ (PRÍNCIPE DE GALES) – SÃO PAULO (TERMINAL SACOMÃ)
R$ 5,25
R$ 5,45
C-494TRO
TUCURUVI
SÃO CAETANO (TERMINAL RODOVIÁRIO NICOLAU DELIC) –
SÃO PAULO (METRO ALTO DO IPIRANGA) VIA SÃO PAULO (SÃO JOÃO CLIMACO E TERMINAL SACOMÃ)
R$ 4,75
R$ 4,90

Gabriel Maranhão abre diálogo com Kassab, futuro Chefe da Casa Civil no Governo Dória

Passadas as eleições de outubro o Prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (sem partido) iniciou conversas com Gilberto Kassab (PSD), futuro Secretário da Casa Civil da gestão João Dória (PSDB).

Kassab sempre manteve boas relações com Maranhão, tanto que enquanto ministro das cidades, liberou R$ 41 milhões recursos que possibilitaram a viabilização de audacioso projeto de urbanização na cidade.

“Gilberto Kassab sempre é um grande amigo e neste encontro pudemos falar sobre os investimentos e perspectivas para a região e em especial de Rio Grande da Serra. Agora procuro o futuro secretário do governo João Dória para a manutenção das boas relações e darmos prosseguimento em alguns projetos”, disse Maranhão. 

Gabriel também já está com diálogo aberto com o deputado federal Alex Manente e o estadual eleito Thiago Auricchio para conquistar apoio para projetos em andamento e também futuros que beneficiem Rio Grande da Serra.

São Paulo terá segundo turno entre João Doria e Márcio França

 

Depois de muita disputa em torno do segundo lugar, o ex-prefeito João Doria (PSDB) e o governador Márcio França (PSB) concorrerão ao comando do estado de São Paulo no segundo turno. Com a totalidade das urnas apuradas, Doria está com 31,77% e França, com 21,53% dos votos válidos.

Paulo Skaf (MDB) ficou em terceiro, com 21,09%. Em quarto, ficou Luiz Marinho (PT), com 12,66%.

Doria não ganha de adversários na cidade em que governou, mostra Ibope

É destaque no jornal Valor Econômico desta terça (03) que João Doria Jr (PSDB) perde para Paulo Skaf (MDB), Márcio França (PSB) e empata com Luiz Marinho (PT) numa simulação de segundo turno eleitoral feita pelo Ibope, considerando apenas os votos da capital que o tucano governou durante 1 ano e 4 meses. Isso mostra, segundo o portal, a “dificuldade” que Doria terá na disputa pelo governo do Estado.
Segundo a pesquisa Ibope, Doria tem 19% das intenções de voto na simulação de primeiro turno para a corrida estadual (votos em todo o Estado). Tecnicamente, está empatado com Skaf, que tem a preferência de 17%. A margem de erro é de 3 pontos percentuais.
No primeiro turno, observados apenas os votos da cidade de São Paulo, Doria e Skaf empatam com 18% cada. No segundo turno, contudo, a situação fica pior. Doria perde para Skaf por grande diferença: 22% do tucano contra 40% do adversário.
Se o confronto no segundo turno fosse entre Doria e Márcio França (PSB), ainda assim, na capital, Doria perderia por 27% a 34%.
Quando o adversário é Luiz Marinho, candidato do PT, Doria consegue um empate: 31% para cada lado, no cenário de segundo turno na capital.
A cidade de São Paulo representa 27% do eleitorado do Estado.
Pesa contra Doria o fato de que ele é o candidato na disputa estadual mais conhecido. Apenas 18% afirmaram ao Ibope que não conhecem o tucano. Já França e Marinho são desconhecidos por 54% e 52% dos eleitores, respectivamente. Skaf não é conhecido por 22%.

Melhor no interior

“Doria vai notadamente melhor entre os eleitores do interior e entre os que o Ibope chama de periferia – municípios do entorno da capital. É esse desempenho que lhe garante vantagem global na pesquisa contra Márcio França (34% a 25%) e Luiz Marinho (36% a 23%). Mesmo assim, ele aparece atrás de Skaf em todo o Estado na simulação de segundo turno: 33% para o emedebista ante 29% para o ex-prefeito”, assinalou o Valor.
A pesquisa Ibope foi feita entre 23 e 26 de junho, e divulgada no dia 29.
Leia a matéria completa aqui.

Doria é recebido como “presidente” em Tocantins. Prefeito de Ribeirão Pires está na comitiva.

O prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), negou nesta segunda-feira, 14, ter o objetivo de fazer pré-campanha para a eleição presidencial de 2018, ao viajar pelo País. O prefeito tucano foi recebido em Palmas pelo prefeito Carlos Amastha (PSB), e por militantes do PSDB que exibiam faixas e camisetas com a inscrição: “Doria presidente”.

Doria exercitou a mordacidade ao dizer desconhecer quem preparou o material publicitário. Segundo o senador Ataídes Oliveira (PSDB), o prefeito não teria ligação com a campanha antecipada.

Oficialmente, o tucano veio à capital tocantinense para uma pauta institucional com empresários, na condição de um dos vice-presidentes da Frente Nacional de prefeitos. “Não se trata de fazer pré-campanha, mas de compartilhar métodos de gestão. (…) De toda forma ajuda sim, a conhecer a realidade do interior do País”, disse ele ao estadão.

Doria tenta repetir a estratégia de seu guru Donald Trump, que tomou de assalto o Partido Republicano e se tornou presidente dos Estados Unidos, deixando para trás nomes tradicionais da máquina partidária. Resta saber como Alckmin agirá para enquadrar sua cria.

Na comitiva de Doria, está o prefeito de Ribeirão Pires, Kiko Teixeira (PSB), que em plena segunda-feira, faltou ao trabalho.

Em 1987, João Dólar, o menino malufinho, já tinha boas ideias para o Nordeste.

Não são necessárias legendas para a imagem acima. A matéria é auto-explicativa para se ter ideia do calibre dessa pessoa, prefeito da maior cidade do hemisfério sul e, como aglomerado metropolitano, o oitavo maior do mundo, com 20 milhões de habitantes. Jornalista Carlos Alberto dos Reis Sampaio

Ministério Público do Trabalho reconhece direito da greve, Alckmin e Doria são contra mobilização dos trabalhadores.

Em nota oficial, o Ministério Público do Trabalho) reforçou a legitimidade da paralisação nacional convocada para esta sexta-feira, 28 de abril.

“Greve é um direito fundamental assegurado pela Constituição Federal, bem como por Tratados Internacionais de Direitos Humanos ratificados pelo Brasil, “competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender”, diz o texto

O órgão ainda aproveita para reiterar seu posicionamento institucional contra a mudanças propostas por Michel Temer e sua base.

Confira abaixo a íntegra da nota

O MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO, considerando a Greve Geral anunciada para o dia 28.04.2017, vem a público:

I – DESTACAR que a Greve é um direito fundamental assegurado pela Constituição Federal, bem como por Tratados Internacionais de Direitos Humanos ratificados pelo Brasil, “competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender” ( art. 9º da CF/88);

II – ENFATIZAR a legitimidade dos interesses que se pretende defender por meio da anunciada Greve Geral como movimento justo e adequado de resistência dos trabalhadores às reformas trabalhista e previdenciária, em trâmite açodado no Congresso Nacional, diante da ausência de consulta efetiva aos representantes dos trabalhadores (Convenção OIT n. 144);

III – REAFIRMAR a posição institucional do Ministério Público do Trabalho – MPT contra as medidas de retirada e enfraquecimento de direitos fundamentais dos trabalhadores contidas no Projeto de Lei que trata da denominada “Reforma Trabalhista”, que violam gravemente a Constituição Federal de 1988 e Convenções Fundamentais da Organização Internacional do Trabalho;

IV – RESSALTAR o compromisso institucional do MPT com a defesa dos Direitos Sociais e com a construção de uma sociedade livre, justa, solidária e menos desigual.
RONALDO CURADO FLEURY
Procurador-Geral do Trabalho

Alckmin solicita a justiça multa para impedir Greve de trabalhadores que lutam por direitos trabalhistas e previdenciário

Alckmin e Doria são favoráveis a retirada de direitos dos trabalhadores

“Na ação, o Governo do Estado alega que o objetivo da mobilização é “paralisar o Brasil”. “Isto é, não apenas transtornar a rotina das cidades, mas sim impedir o funcionamento dessas, mediante, entre outras coisas, a paralisação completa dos serviços de transporte público, o que impedirá grande parcela dos cidadãos de se deslocar para os seus locais de trabalho”

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) decidiu, em caráter liminar, multar em R$ 937 mil cada um dos sindicatos ligados ao sistema de transporte público da capital paulista que aderirem à greve geral desta sexta-feira (28). Caso todas as multas sejam aplicadas aos sindicatos que representam os trabalhadores do metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), o valor poderá superar os R$ 3,7 milhões.

Em decisão duvidosa, a juíza Ana Luiza Villa Nova em seu despacho diz que: “no caso em tela, sequer se trata de exercício de direito de greve” e a paralisação decorre “não em reivindicação de direitos trabalhistas da categoria em face de seus empregadores, e, sim, em apoio a movimento de iniciativa de centrais sindicais voltadas a pleitos relacionados às reformas da Previdência e Trabalhista”. “[Esses pleitos] não podem ser atendidos pelo Metrô e pela CTPM, mas apenas pelo Governo Federal e pelo Congresso Nacional”.

O prefeito de São Paulo, João Doria  que em passado recente defendeu Greve Geral contra Dilma, hoje quer cortar ponto de servidores que aderirem a mobilização.

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou que vai descontar o dia do trabalhador da Prefeitura que aderir à greve geral desta sexta-feira 28, que ocorrerá em protesto contra as reformas do governo Temer, que prejudica os direitos históricos dos trabalhadores.

Em 2013, no entanto, o tucano postou em seu Twitter uma mensagem que sinalizava apoio à greve geral que ocorreu em julho daquele ano. “Greve geral de amanhã pode ser o teste mais difícil do governo Dilma”, escreveu.

A greve geral daquele período foi a primeira realizada desde o início dos governos do PT, em 2003, ainda com o ex-presidente Lula. Oito centrais sindicais convocaram manifestações em todo o País com uma pauta única de reivindicações dos trabalhadores.

Em um vídeo divulgado ontem, Doria defendeu que “dia 28 é dia de trabalho” e que “só não trabalha quem não quer”. Ele ofereceu corridas de graça nos aplicativos Uber e 99 para o servidor da Prefeitura que tiver dificuldade de se deslocar.

João Doria demite Soninha em vídeo público.

Sempre inovando, o prefeito de são Paulo, João Doria despachou Soninha Francine de volta à Câmara dos Vereadores, encerrando sua participação em seu governo. O prefeito quer “colocar um pouco mais de força na gestão“ e que, após uma conversa “produtiva, altiva, elevada e de muito sentimento“, demitiu a secretária de suas funções.

Soninha Francine ocupava a cadeira da Secretaria de Assistência Social. No vîdeo, Doria diz que “ambos“ chegaram à conclusão de que ela deve voltar à Câmara, para que ele coloque alguém que coloque um “pouco mais de força na gestão administrativa dessa secretaria, o que é mais pesado um pouco“, diz ele, “é construção, obra, implementação de novos CTAS, espaços vida“. E coroou com “tudo isso exige uma demanda que não está dentro do espírito da Sonia“.

Soninha não respondeu no vídeo, mas usou sua página no Facebook para dar seu recado, dizendo que, apesar de andar rápido, não correspondeu ao ritmo do prefeito. Veja o vídeo abaixo.

Doria, Dallagnol, o MBL e a república dos moleques. Por Kiko Nogueira

Lula chamou Dallagnol de moleque, mas quem anda merecendo o epíteto é o prefeito de São Paulo, João Doria.

Em tempo recorde, Doria foi inventado como político, eleito, traiu seu criador, se lançou à presidência e agora bate no velho prócer de seu partido, FHC.

Alkcmin conseguiu criar um monstro e não sabe mais o que fazer com ele. Um menino mimado cujas vontades não podem ser contrariadas.

Nos últimos dias, Fernando Henrique rifou Aécio e criticou indiretamente Doria sobre a possibilidade de ele disputar o Planalto em 2018. Geraldo Alckmin, em sua opinião, ainda é o cara. “Se você for um gestor, não vai inspirar nada. Tem que ser líder”, declarou.

Doria, que vinha negando essa possibilidade e reafirmando que o nome do partido é o de seu mentor, acusou o golpe, dando uma bandeira gigantesca de suas ambições.

“Respeito muito o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, mas eu só lembro que ele previu que eu não seria eleito nas prévias para ser candidato pelo PSDB. Apoiou outro candidato, o que não muda minha admiração. Ele mesmo já confessou que, quando comecei campanha para prefeito de SP, acreditava que eu não seria eleito. Venci as duas. Os dois primeiros prognósticos do FHC ele errou”, falou.

“Se mantiver a média de acertos nas suas previsões, Fernando Henrique vai pedir música no Fantástico”.

O MBL está fazendo campanha aberta para João Doria. Fez montagens grotescas do bate boca com FHC. O amigo dono da Ultrafarma, Sidney Oliveira, pagou placas no jogo do Brasil contra o Uruguai. A empresa é aquela que ganhou um merchã ridículo de JD numa reunião da prefeitura.

Segundo o Painel, a propaganda causou desconforto em aliados do governador. É preciso ser um ingênuo completo, na melhor das hipóteses, para crer que o alcaide paulistano não sabia de nada.

Alckmin acordou tarde demais. É o doutor Frankenstein interiorano, humilhado na festa de Lucilia Diniz quando seu filho de botox foi aclamado candidato à presidência.

A malcriação com Fernando Henrique vem do mesmo sujeito que ameaçou abandonar uma entrevista porque não gostou da pergunta e que chamou para a briga um folião no Carnaval — cercado por seguranças porque ele não é bobo.

Com seu estilo SS, o MBL é o grupo paramilitar perfeito para Doria. O país ganhou uma geração de moleques cheia de vontade de sair estraçalhando tudo e todos em nome da moral e dos bons costumes. Pequenos salvadores da pátria que não pouparão a pobre mãe gentil.

João Dória presidente e ACM Neto vice enfrentarão Lula e Ciro?

A cúpula do PSDB decidiu: o candidato à presidente 2018 vai ser João Doria e o seu vice o ACM Neto. Geraldo Alckmin nem foi avisado disso (ainda), escreveu o colunista Claudio Tognolli , do Yahoo.

Segundo a publicação, o que fulminou o nome de Alckmin teria sido o furo do Jornal O Globo, dessa terça. Escreveu O Globo: o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) pedidos de abertura de inquérito contra mais de dez governadores em exercício, entre eles o de São Paulo, Geraldo Alckmin, do PSDB, que disputou a Presidência em 2006. O pedido sobre o tucano estaria relacionado a repasses que a Odebrecht fez para as campanhas dele ao governo de São Paulo, em 2010, e também em 2014. Segundo um dos delatores, pelo menos um dos pagamentos teve como intermediário Adhemar Ribeiro, cunhado do governador.

O Movimento Brasil Livre foi quem lançou a campanha por Dória presidente e ACM Neto como vice, há dias.

Janaína Paschoal vira “inspetora de banheiros” na gestão Doria.

Coautora do pedido de impeachment de Dilma, professora da USP afirma que vai “trabalhar de graça” para a prefeitura de São Paulo. Advogada diz que vai inspecionar os banheiros do Ibirapuera e informar o novo prefeito sobre a situação deles

Coautora do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, a advogada Janaína Paschoal decidiu aderir à campanha de limpeza em São Paulo deflagrada pelo novo prefeito da cidade, João Doria (PSDB). Em sua conta no Twitter, Janaína informou que vai “trabalhar de graça” para a prefeitura, inspecionando os banheiros do Parque Ibirapuera, do qual é frequentadora assídua. O “anúncio” foi feito pela professora da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) no último dia 1º, quando Doria tomou posse.

Na publicação, Janaína fez uma crítica indireta ao ex-prefeito Fernando Haddad (PT). Segundo ela, a limpeza nos banheiros públicos no principal parque da capital paulista ficou abandonada desde outubro, quando o petista, que tentava a reeleição, foi derrotado pelo tucano. A advogada afirma que vai inspecionar com frequência os banheiros do Ibirapuera e que manterá Doria informado sobre a situação deles pelo Twitter.

Veja os tuítes:

Janaína Paschoal assinou, ao lado do ex-promotor e ex-deputado Hélio Bicudo e do jurista Miguel Reale Junior, a petição que resultou no impeachment da ex-presidente Dilma. Durante a defesa do afastamento da presidente no Congresso, ela chamou a atenção por suas declarações e por discussões com parlamentares.

Vassoura

Ontem, no primeiro dia útil de sua gestão, o novo prefeito se vestiu de gari e foi até o centro da capital, na Praça 14 Bis, perto da Avenida Paulista, para lançar um programa de limpeza e zeladoria urbana batizado de Cidade Linda. O tucano só pegou na vassoura para posar diante de fotógrafos e cinegrafistas. Mas o local e os arredores já haviam recebido uma limpeza na madrugada, antes da chegada dele.  A rua chegou a ser lavada.

Doria disse que participará da limpeza todas as semanas ao longo dos quatro anos de mandato. “Podem anotar, registrar. E olha, acordem cedo”, declarou aos jornalistas. O prefeito também prometeu que sua administração vai cuidar com “humanidade” dos moradores de rua. Ele permaneceu na praça por pouco mais de uma hora (entre as 5h50 e as 7h05), tempo quase todo utilizado por ele para dar entrevista.