Dos 27 mortos na Chacina do Jacarezinho, apenas 4 eram alvo de operação policial

Dos chacinados, nove não eram alvo de processos na Justiça e os outros 14 não estavam sendo investigados. Durante a operação que levou à chacina na 5ª feira (06), a polícia realizou execuções sumárias

Dos 27 mortos na chacina promovida na favela do Jacarezinho, no Rio de Janeiro, na última quinta-feira, 6, apenas quatro estavam entre os alvos da investigação da Polícia Civil, e outros três foram presos durante a operação, segundo o UOL, com base em relatório de inteligência da Polícia Civil e em informações fornecidas pela instituição.

Dos chacinados, nove não eram alvo de processos na Justiça e os outros 14 não estavam sendo investigados. Durante a operação na quinta-feira, 6,  a polícia realizou execuções sumárias.

A Polícia Civil desrespeitou ordem do Supremo Tribunal Federal (STF) e realizou operação na favela do Jacarezinho, no Rio de Janeiro.

O governo do Rio de Janeiro descumpriu a liminar deferida pelo ministro Edson Fachin e referendada pelo plenário da corte que proibiu operações policiais nas comunidades durante a pandemia da COVID-19, a partir da ADPF (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental) nº 635, conhecida como “ADPF das Favelas”.

A Chacina do Jacarezinho é a maior da história da cidade do Rio de Janeiro e a segunda maior da história do estado. Mas as entidades de direitos humanos dizem que o número de mortos pode subir ainda mais.

Deixe uma resposta