Fábrica de Sal corre sério risco de desabamento

O Repórter ABC compareceu nesta quarta-feira (13) para verificar denúncia recebida sobre as péssimas condições do prédio da antiga Fábrica de Sal e também sobre os riscos de desabamento da edificação histórica.

Logo na entrada principal, verifica-se tijolos desmanchados em razão das intempéries do tempo e também por possível corrosão de sal.

A chaminé também apresenta ao longo de sua extensão diversos tijolos desgastados e na sua base é visível o desgastes o que põe em risco a sua queda que pode cair.

Base da Torre mostra trincas e tijolos corroídos pelo sal e pelo tempo

A chaminé pode cair sobre a escola municipal Lavínia figueiredo Arnoni, sobre o Emad ou sobre a biblioteca municipal.

O edifício do Moinho Fratelli Maciott, mais conhecido como Fábrica de Sal, foi reconhecido pelo  Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (CONDEPHAAT) como patrimônio histórico.

O pedido de tombamento do local foi feito em 2015, após o trabalho conjunto de historiadores e memorialistas de Ribeirão Pires, pelo Conselho de Defesa do Patrimônio, com estudo técnico e histórico anexado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio de Ribeirão Pires (CATP).

Atualmente há na justiça um recurso da família proprietária sobre o valores da desapropriação está sendo contratada na Justiça. Isto impediu a emissão da escritura do terreno para a prefeitura, apesar da construção do prédio da biblioteca e museu.

Acompanhe abaixo algumas imagens capturadas em 13 de janeiro de 2021.

Entrada principal totalmente se desmanchando pela ação do sal e pelas intemperes 

Imagem de todo o o prédio

O prédio de três pavimentos está  visivelmente se desfazendo

Vigas de ferro que fazem a sustentação da cobertura enferrujaram e se soltaram da base a qual era unida

 

Base da Torre mostra trincas e tijolos corroídos pelo sal e pelo tempo

One Comment on “Fábrica de Sal corre sério risco de desabamento”

Deixe uma resposta