1º boletim médico de Bolsonaro em São Paulo descarta cirurgia. Em Brasília, médicos teriam retirado 1 kg de conteúdo fecal por meio de sonda no nariz

Presidente passou por avaliações clínica, laboratoriais e de imagem em hospital de São Paulo

A recomendação de uma nova cirurgia de emergência do presidente Jair Bolsonaro foi inicialmente descartada pela equipe do Hospital Vila Nova Star, de São Paulo. Em nota, a direção médica responsável informou nesta 4ª feira (14.jul.2021) que o chefe do Executivo será submetido a “inicialmente tratamento clínico conservador” enquanto permanece internado.

O quadro de Bolsonaro, segundo o primeiro boletim médico do Vila Nova Star, é de “suboclusão intestinal”. Segundo o hospital, ele passou por avaliações clínica, laboratoriais e de imagem. A equipe médica é chefiada por Antônio Luiz Macedo, responsável por realizar as cirurgias no presidente depois do episódio da facada em 2018.

Bolsonaro deve permanecer no hospital por 3 dias, segundo informou seu filho mais velho, o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ). O presidente foi diagnosticado com obstrução intestinal nesta tarde e foi transferido para São Paulo para a realização de novos exames. Durante o dia, quando esteve em observação no HFA (Hospital das Forças Armadas) em Brasília, de acordo com a informação do jornalista Renato Rovai da Revista Fórum, horas após dar entrada no HFA de Brasília, na manhã desta 4ª feira (14), apresentando soluços persistentes, Jair Bolsonaro foi submetido a um procedimento com sonda nasogástrica em que foram retirados cerca de 1kg de conteúdo fecal.

Bolsonaro deu entrada na instituição ainda de madrugada depois de sentir dores abdominais. De acordo com o chefe do Executivo, em publicação em seus perfis nas redes sociais, a possibilidade de uma nova cirurgia é “mais um desafio” que decorre da facada sofrida durante a campanha presidencial.

Eis a íntegra da nota:

O Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, foi transferido na noite desta quarta-feira para o Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, após passar por uma avaliação no Hospital das Forças Armadas, em Brasília, e ser diagnosticado com um quadro de suboclusão intestinal. Após avaliações clínica, laboratoriais e de imagem realizadas, o Presidente permanecerá internado inicialmente em tratamento clínico conservador.

Direção médica responsável: Dr. Antônio Luiz de Vasconcellos Macedo – Cirurgião-chefe, Dr. Ricardo Camarinha – Cardiologista do Presidente, Dr. Leandro Echenique – Clínico e Cardiologista, Dr. Antônio Antonietto – Diretor médico do Hospital Vila Nova Star,Dr. Pedro Henrique Loretti – Diretor Geral do Hospital Vila Nova Star

Deixe uma resposta