Falta de remédios do kit intubação atinge 1,4 mil municípios e falta de oxigênio pode atingir 625 cidades

Pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) aponta desabastecimento de medicamentos do chamado kit intubação – para tratamento hospitalar de pacientes graves com COVID-19 – em, pelo menos, 1,4 mil municípios. De acordo com o estudo, 625 cidades também sofrem com falta de oxigênio medicinal.

Veja pesquisa completa ao final.

O levantamento foi divulgado nesta 5ª feira (1.abr.2021). Para a realização do estudo, foram procurados 2.533 prefeitos de municípios – quantidade que corresponde a 46% do total brasileiro.

Os prefeitos também foram questionados sobre a distribuição de vacinas. Dentre eles, 98% disseram ter recebido doses do imunizante contra COVID-19 nesta semana. As remessas ocorreram duas vezes para 68,4% dos municípios, e 24,4% receberam apenas uma.

Lockdown

A pesquisa também traz dados sobre a adoção de medidas de segurança para conter o avanço da doença. Os resultados indicam que 37,1% dos municípios adotam o lockdown. Ou seja, 61,9% afirmaram não ter tomado essa atitude nesta semana.

O toque de recolher foi outra pauta da pesquisa. Do total de entrevistados, 82,2% confirmaram fazer uso da medida e 17,5% declararam não adotá-la.

A pesquisa também mostra que 88% dos municípios estão adotando restrições das atividades aos finais de semana. Já a antecipação de feriados nesta semana foi seguida por 15,3% dos pesquisados. Quase 90% das localidades não estão aderindo às aulas presenciais.

Alerta

Recentemente, o Gabinete Integrado de Acompanhamento da Epidemia de COVID-19 (Giac), criado no âmbito do Ministério Público Federal (MPF), alertou o governo federal para a possibilidade de desabastecimento dos insumos.

Os ofícios foram enviados ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e pedem a adoção de providências urgentes para essas localidades.

O Giac já havia enviado à pasta alertas similares requerendo medidas para evitar o colapso iminente do sistema de saúde por falta de oxigênio em Rondônia, Mato Grosso, no Acre e no Amapá.

Deixe uma resposta