No dia mais letal da pandemia, bolsonarista vandaliza homenagem aos mortos por COVID (VÍDEO)

O vandalismo ocorreu no mesmo dia em que o País registrou novo recorde de mortes diárias pela Covid-19, com 3.650 mortes computadas nas últimas 24 horas

Homenagem às mais de 300 mil vítimas da Covid-19 no Brasil foi vandalizada por um bolsonarista em Toledo, no Paraná.

O ato foi organizado pelo Comitê de Resistência e Solidariedade e entidades sindicais, como a Adunioeste, APP de Toledo, Ser Toledo, Sinteoeste, Sindicato dos Empregados no Comércio, Sinditest, além do Movimento Estudantil e Instituto Cultural Quilombo Tekohá

300 crucifixos, representando as 300 mil mortes em decorrência da Covid-19, foram colocados no Lago Municipal de Toledo. Os manifestantes também pediam auxílio emergencial e vacinas contra o novo coronavírus.

Brasil registra dia mais letal da pandemia

O vandalismo ocorreu no mesmo dia em que o País registrou novo recorde de mortes diárias pela Covid-19. Nesta sexta, relatório do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) registrou 3.650 mortes nas últimas 24 horas, acumulando um total de 307.112 óbitos desde o início da pandemia.

Foram contabilizados também 84.245 casos nesse mesmo período, totalizando 12.404.414 registros de infecção do vírus.

Manifesto contra o ataque

Logo após a realização do ato, as entidades que o organizaram divulgaram um manifesto expondo suas reivindicações. Confira abaixo.

O Comitê Resistência e Solidariedade de Toledo – CRS, um grupo de pessoas que se organizou para contribuir em diversas frentes nesse momento de pandemia, organizou nessa sexta-feira, 26 de março, uma atividade de alerta em defesa da vida!

As cruzes cravadas em torno do lago municipal de Toledo são para simbolizar os mais de 300 mil mortos no brasil e as mais de 200 (duzentas) vítimas da covid-19 em Toledo.Prestando homenagem as vítimas, o comitê pretende expressar sua solidariedade aos familiares que perderam entes queridos e aos milhões de infectados e aqueles que carecem de cuidados e esperam na fila por leito em UTI’s.

O Comitê dedica gratidão à todos os trabalhadores do sistema público e privado da saúde que diuturnamente salvam vidas!

Nesse momento é indispensável uma articulação nacional do Sistema Único de Saúde (SUS) através de planejamento e ações concretas dos governos: federal, estaduais e municipais contra o inimigo número UM da sociedade: o coronavírus.

Essa manifestação também reivindica vacinas para que seja possível retomar as aulas presenciais e as demais atividades caracterizadas como não essenciais. O CRS lembra que 70 milhões de brasileiros estão em situação de vulnerabilidade e necessitam do auxílio emergencial, por isso cobra que esse auxilio seja de R$ 600,00 para que seja possível a sobrevivência enquanto a pandemia não esteja totalmente controlada.

Para o controle da pandemia, nosso movimento cobra o chefe máximo da nação para que perceba a realidade e pare com a retirada de recursos da saúde, da ciência e da tecnologia, que respeite a dor da população e dos familiares das vítimas do Coronavírus e coloque a saúde e a vida como a maior prioridade pro país.

Para mudar essa triste realidade pedimos:

  • teste em massa para diagnosticar o real quadro de infectados pelo coronavírus;
  • vacina já e gratuita para todos;
  • lockdown nacional;
  • Auxílio Emergencial e FORA BOLSONARO COM SUA POLÍTICA DE MORTE.

Esta é uma atividade organizada pelo Comitê de Resistência e Solidariedade, Adunioeste, APP de Toledo, SerToledo, Sinteoeste, Sindicato dos Empregados no Comércio, Sinditest, Movimento Estudantil e Instituto Cultural Quilombo Tekohá.

Editado da Revista Fórum

Deixe uma resposta