Governadores excluídos de reunião criticam comitê de Bolsonaro sem estados e municípios

Coordenador do Fórum de governadores, o governador do Piauí denunciou a “terceirização” de estados e municípios para o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), sem diálogo direto com o Planalto

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), está cético sobre as chances de sucesso do comitê criado por Jair Bolsonaro para combater a pandemia.

Após intensa pressão do ex-presidente Lula, o presidente aderiu à proposta, mas estruturou um grupo que contará apenas com a presença de representantes dos governos estaduais, do Congresso e da União. Estados e municípios serão “terceirizados” para o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Para o governador, o comitê somente terá sucesso com a representação direta de estados e municípios.

“O comitê ficou sem estados e municípios. Então, mantém desintegração. Terceirizado para o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, para cuidar da relação com governadores, consequentemente da rede de saúde, falta de insumos, estratégia de prevenção e vacinação, colapso na rede, atraso na habilitação de leitos e pagamentos… Ou seja, não vai dar certo”, disse.

As informações foram reportadas na coluna de Lauro Jardim, no Globo.

Queiroga diz que Brasil vai aplicar 1 milhão de doses de vacinas por dia

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta 4ª feira (24.mar.2021) que sua gestão terá a meta de vacinar 1 milhão de brasileiros contra a covid-19 por dia em todo país. A declaração foi feita em sua 1ª entrevista a jornalistas no Palácio do Planalto.

“Atualmente vacinamos 300.000 todos os dias, e o Ministério da Saúde e o governo assumem o compromisso de, em curto prazo, aumentar pelo menos em 3 vezes essa velocidade de vacinação para 1 milhão de vacinas todos os dias”, disse o novo chefe da pasta, que assumiu a vaga do general Eduardo Pazuello nessa 3ª feira (23.mar.2021).

Segundo Queiroga, a determinação de acelerar o ritmo de vacinação foi do presidente Jair Bolsonaro.

“A determinação expressa do presidente é para que nós consigamos ampliar número de vacinação, temos condições de vacinar muitas pessoas”, declarou.

O médico afirmou que o número pode ser ainda maior, no curto prazo.

“Temos condições de ampliar ainda mais, mas não quero me comprometer, porque precisamos buscar mais vacinas”, disse.

Segundo o ministro, 95% da população pretende se vacinar.

“Lá, há 1 século, houve a Revolta da Vacina, as pessoas tinha receio de vacina. Hoje sabemos que 95% da população brasileira deseja ser imunizada”, disse.

O ministro Fábio Faria (Comunicações), que participou da entrevista, disse que o Brasil tem garantidas 562 milhões de doses para 2021.

Assista as imagens transmitidas pela Agência Brasil da 1ª entrevista concedida pelo ministro da Saúde no Palácio do Planalto:

Deixe uma resposta