Leilão da EAOSA e da Ribeirão Pires recebe proposta de R$ 7,5 milhões. Trabalhadores cruzam os braços

Oferta ainda depende de análise e eventual aprovação do juiz responsável pelo processo de recuperação judicial

Foi realizado nesta 3ª feira (23.mar.2021, o leilão das Unidades de Produção Isolada (UPIs) na recuperação judicial do Grupo Baltazar José de Sousa (BJS) pela empresa WR Leilões .

Estas UPIs se referem às marcas de duas empresas de ônibus do Grupo: EAOSA (Empresa Auto Ônibus Santo André) e Viação Ribeirão Pires, duas das mais tradicionais companhias de transporte de passageiros do ABC Paulista.

Houve apenas uma proposta no valor de R$ 7,5 milhões, que era o mínimo estipulado em edital.

A proposta agora será submetida à análise da 6ª Vara Cível e de Acidentes de Trabalho – Capital de Manaus, a cargo do juiz Rosselberto Himens, responsável pelo processo. Por conta disso, o nome de quem fez a oferta não pode ser divulgado ainda.

Nesta 3ª feira (23.mar), também estão sendo leiloados imóveis pertencentes ao  Grupo Baltazar José de Sousa (BJS).

As empresas EAOSA e Ribeirão Pires operam a Área 5 da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) com linha metropolitanas no ABC.

O leilão das UPIs não envolve nem os ônibus, nem as garagens e nem as linhas, mas só o uso da marca livre de dívidas.

O Grupo Baltazar opera entre o ABC Paulista e a capital com as seguintes empresas: Viação Ribeirão Pires, EAOSA – Empresa Auto Ônibus Santo André, EUSA – Empresa Urbana Santo André, Viação São Camilo, Viação Triângulo e Viação Imigrantes.

São aproximadamente mil funcionários e em torno de 350 ônibus em todo o grupo.

Motoristas da EMTU/EAOSA cruzaram os braços

Quem depende de ônibus das empresas EAOSA (Empresa Auto Ônibus Santo André) Ribeirão Pires, São Camilo e Urbana, todas do Grupo Baltazar José de Sousa, enfrenta dificuldades na noite desta terça-feira, 23 de março de 2021.
De acordo com o presidente do Sintetra, sindicato dos rodoviários do ABC Paulista, Leandro Mendes da Silva, trata-se de um protesto feito pelos trabalhadores por causa do atraso do pagamento do vale-salarial, que é o adiantamento de parte do salário que deve ser depositado todo o dia 20 de cada mês. Os ônibus estão sendo gradativamente recolhidos.
As empresas Riacho Grande, Triângulo e Imigrantes, também de Baltazar, operam normalmente na noite desta terça-feira (23).
De acordo com Leandro Mendes, a pandemia agravou a situação financeira de todas as empresas de transportes, mas os atrasos no Grupo Baltazar são bem anteriores à covid-19.
Não está descartado que a paralisação prossiga nesta quarta-feira (24).
A EAOSA (Empresa Auto Ônibus Santo André) Ribeirão Pires, São Camilo e Urbana operam linhas gerenciadas pela EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) em Ribeirão Pires, Mauá, São Caetano do Sul, Santo André, Rio Grande da Serra, São Bernardo do Campo (Rudge Ramos) e parte da capital paulista.

Deixe uma resposta