Com 3 mil mortes por dia, Bolsonaro diz que Brasil “é um dos países que melhor faz seu papel”. Ele comparou COVID com AIDS

Ele também disse que Pazuello fez um “trabalho brilhante” no Ministério da Saúde e voltou a falar em tratamento precoce contra COVID-19, mas mudando de nome: “tratamento inicial, porque falar outra palavra é crime né”

Em sua live semanal, Jair Bolsonaro falou nesta 5ª feira (18.mar.2021) em tom de despedida sobre o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que, segundo ele, “infelizmente está nos deixando amanhã”, o que indica que uma oficial saída do ministro pode ser anunciada nesta 6ª feira (19.mar) por meio do Diário Oficial da União.

Mesmo com o país tendo uma lenta vacinação, alcançando a marca de três mil mortes diárias por COVID-19 e sendo o segundo país onde o coronavírus mais mata, Bolsonaro disse que Pazuello fez um “brilhante trabalho”

Ele ainda afirmou que o “Brasil está fazendo seu papel. É um dos países que melhor faz seu papel”.

Bolsonaro também voltou a defender o tratamento precoce, dizendo que remédios como a hidroxicloroquina, sem eficácia cientificamente comprovada contra COVID-19, foram criminalizados no Brasil.

“Tem aí um tratamento inicial, porque falar outra palavra é crime né, então vou falar ‘tratamento inicial’. Você passou mal, está com um pouco de dor de cabeça, dor nos olhos, um pouco de febre, resfriado, vai para o médico imediatamente. Alguns nem vão, já tomam logo remédio ‘para matar piolho’, porque falar o nome também não pode. E eu tomei um outro e me dei bem, e milhares de pessoas têm se socorrido nesse tratamento inicial e dão testemunho que seguraram”, disse, completando: “se existe outra forma de tratamento, faça uso disso”.

Bolsonaro ainda comparou a COVID-19 com a Aids. Levantamento divulgado nesta quarta-feira (17), no entanto, mostra que o coronavírus já matou mais que o HIV e a tuberculose.

Sobre a morte de um ajudante de ordens da Presidência da República, Bolsonaro confirmou que o servidor foi vítima da COVID-19.

Deixe uma resposta