ABC em colapso: Região tem 92,29% de leitos de UTIs e 88,60% de enfermaria ocupadas

Repórter ABC |Luís Carlos Nunes – Com base em dados oficiais divulgados pelas 7 prefeitura da região do ABC Paulista na última 6ª feira (12.mar.2021), o Repórter ABC cruzando os dados onde foi verificada a caótica situação da região por falta leitos de UTI e enfermaria para o atendimento da população acometida pela COVID-19.

De acordo com a compilação, a região dispõe de média, apenas 11,40% do total de seus leitos de enfermaria e somente 7,71% de leitos disponíveis para UTI.

Os números são alarmantes uma vez que é galopante o avanço de contaminações pela COVID-19 na região do ABC Paulista que é composta por 7 cidades. Na região cresce a preocupação pela falta de novos leitos, tanto na rede pública como privada.

Uma saída para as prefeituras da região seria recorrer ao sistema CROSS, mas como noticiou o Repórter ABC, a rede pública estadual tem 21 hospitais com 100% de ocupação dos leitos de UTI, a internações de crianças por COVID-19 cresce 47% na rede privada, questões que atualmente influenciam diretamente a população do ABC.

Conforme os dados, Diadema, Mauá e Ribeirão Pires apontaram 100% de seus leitos ocupados na nata de ontem (12). Os leitos de enfermaria de Diadema está tomado em  96% e Ribeirão Pires em 100%. A cidade de Mauá em seu Boletim diário não informa o índice para enfermaria.

Santo André tem seus leitos de UTI ocupados em  91% e leitos de enfermaria 89% deles estão com pacientes.

A cidade de São Bernardo do Campo tem os seus leitos de UTI Geral ocupados 86% e as UTI Adulto em 89%. Ainda na cidade, 76% de seus leitos de enfermaria estão atendendo pacientes.

São Caetano do Sul  está com 80% de seus leitos de UTI ocupadas e 82% de enfermarias.

A cidade de Rio Grande da Serra é a única entre as cidade do ABC onde não há um único leito de UTI ou enfermaria instalada para atendimento de vítimas da COVID-19.

Casos Confirmados

Ainda com base nas informações divulgadas pelas 7 prefeituras da região do ABC Paulista o registro de novos casos confirmados doença preocupa.

Na última 6ª feira (12.mar), mais 914 confirmações por covid-19 foram registradas em 24h na região. A média móvel é de 700,57 casos/dia, e uma variação de -1,51% (estável) em relação a média de 14 dias atrás.

Conforme o gráfico acima, o ABC desde que teve o início da pandemia da COVID-19, já foram registradas 205.476 confirmações. A cidade São Bernardo do Campo acumula 55.235 casos, seguida por Santo André com 39.126, Diadema com 17.634 ,Mauá com 15.621 casos, São Caetano do Sul com 11.261, Ribeirão Pires com 4.715 e Rio Grande da Serra que registra até o dia 12 de março 1.593 casos da doença na região.

Óbitos

Na última 6ª feira (12.mar) foram registrados na região, mais 51 óbitos por COVID-19 em 24  horas.

São Bernardo do Campo lidera as ocorrência de óbito com 1.594, em seguida vem a cidade de Santo André com 1,273 mortes, Diadema 709, Mauá 650, São Caetano do Sul com 430 óbitos, Ribeirão Pires com 174 e Rio Grande da Serra com 49 mortes registradas por COVID-19.

Recuperações

Até a última sexta-feira, 12 de março, as 7 cidades do ABC Paulista registram 127.657 casos de recuperação.

São Bernardo do Campo registra 52.183 que se recuperaram, Santo André 35.067, Diadema 16.035 recuperação, Mauá 12.314, São Caetano do Sul 7.655, Ribeirão Pires 3.180 e Rio Grande da Serra 1,223.

Saiba mais

Deixe uma resposta