COVID-19: veja o que muda com as medidas da fase emergencial anunciados por Doria

Aumento das restrições em 14 atividades coloca mais 4 milhões de pessoas em restrições adicionais (entre pessoas empregadas e movimentadas)

Repórter ABC | Luís Carlos Nunes – O Governador João Doria (PSDB) anunciou nesta 5ª feira (11.mar.2021) a implantação da nova Fase Emergencial do Plano SP, com aumento das restrições em 14 atividades econômicas, colocando mais 4 milhões de pessoas em restrições adicionais (entre pessoas empregadas e movimentadas).

Doria durante a apresentação e apoiado por secretários e técnicos, por diversas vezes fez questão de ressaltar que a medida em nada se equipara a um lockdown, que em sua opinião só deve ser utilizada em casas de situação de guerra.

Acredita porém, que diante do Forum que agrega 22 governadores de Estado onda há grande articulação de ações conjuntas, caso as novas medidas apresentadas não surtam os resultados esperados,  um lockdown total pode ser posto em prática.

A decisão é branda para combater a COVID-19, especialmente as variantes de Manaus, segundo defendem alguns cientistas e estudiosos da área da infectologia, a exemplo de Miguel Nicolellis que defende urgência de um lockdown no Brasil. Ver aqui.

A decisão é das mais difíceis levando-se em conta a falta de apoio do governo Federal em oferecer apoio financeiro a pessoas em situação de vulnerabilidade social e econômica.

O plano prevê ainda restrições e recomendações que se referem a edução no Estado.

A situação da pandemia nunca esteve tão grave quanto agora e o ritmo da abertura de leitos no sistema de saúde do estado não é mais capaz de acompanhar a necessidade de internações.

Segundo os dados que levaram ao endurecimento nas regras sanitárias em todo o estado são os números atuais da pandemia.

Entre ele: 9.184pacientes internados em UTI COVID nesta 5ª feira (11)

  • Número 47% maior que o observado no pico da 1ª onda;
  • 20 dias consecutivos de recorde de pacientes iinternados em UTI;
  • 1.065 pacientes aguardando no sistema de Regulação Estadual (CROSS).

Abaixo mais detalhes sobre a nova fase do Plano SP:

Toque de Recolher

As pessoas no Estado de São Paulo estão obrigadas a cumprir “Toque de Recolher” em período que compreende às 20hs e 5hs.

Fica proibido o uso de praias e parques, proibição completa de qualquer tipo de aglomeração e fica obrigatório o uso de máscaras em todos os ambientes, sejam internos ou externo, o que na prática pouco mudou com relação as determinações anteriores.

Principais alterações

A partir da próxima 2ª feira (15.mar.2021) algumas atividades ficam totalmente proibidas. O governo de São Paulo acolheu recomendação do Ministério Público estadual que recomendou a proibição cultos religiosos coletivos e a realização de atividades esportivas em conjunto (ver aqui), conforme noticiou o Repórter ABC.

Veja abaixo.

Atividades com restrição completa

  • Serviços de retirada (take-away) de todos os setores;
  • Lojas de materiais de construção;
  • Celebrações religiosas coletivas;
  • Atividades esportivas coletivas.

Tele-trabalho obrigatório para atividades administrativas não essenciais

  • Órgãos públicos;
  • Escritórios e qualquer atividade desdeque o setor não seja essencial.

Não autorizada a entrega de alimentos e produtos ao cliente no estabelecimento comercial

  • Permitida somente serviços de drive-thru (entre 5hs e 20 hr) e delivery para restaurantes e outros estabelecimentos comerciais.

Escalonamento de entrada no trabalho na região metropolitana

O governo paulista fez recomendações de escalonamento do horário de entradano trabalho para evitar aglomerações no transporte público contrariando as principais queixas de usuários sobre os riscos de contaminações durante os trajetos e locomoções.

O Repórter ABC publicou nesta 5ª feira matéria intitulada “População do ABC reclama de riscos da COVID-19 no transporte público por conta das aglomerações”que trata sobre a temática. Ver aqui.

Medidas para a educação

O governo de João Doria (PSDB) que foi proibido pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, onde a juíza Simone Gomes Rodrigues Casoretti na última 3ª feira (09.mar.2021) proibiu o gestor de obrigar professores a voltarem às escolas sem controle da pandemia – ver matéria aqui – fez algumas recomendações para o setor como forma de preservação da saúde, conforme abaixo:

  • Escolas abertas apenas para alimentação e distribuição de materiais e chips – com agendamento prévio
  • Recomendação para que todas as atividades nas escolas sejam reduzidas ao mínimo necessário para diminuir a circulação de pessoas. Quem puder, deve ficar em casa.

Ainda no anuncio feito pelo governo do Estado, recessos serão antecipados.

  • Os recessos de abril e outubro serão antecipados para o período de 15 a 28 de março, sem prejuízo do calendário escolar.
  • Alunos não terão atividades obrigatórias a desenvolver e devem permanecer em casa. Segundo o governo a medida contribui para reduzir a circulação de pessoas neste momento.
  • O Centro de Mídias da Educação de São Paulo segue oferecendo reprises de aulas de forma opcional para reforço escolar.
  • Aulas podem ser acessadas pelos canais da TV Educação e TV Univesp e pelo aplicativo, com internet gratuita.

O governo estadual solicita a população para que façam denúncias de aglomerações e atividades clandestinas se utilizando dos seguinte canais:

  • 0800-771-3541 (ligação gratuita);
  • 3065-4666;
  • site: www.procon.sp.gov.br
  • E-mail:secretarias @cvs.saude.sp.gov.br

Deixe uma resposta