Estado vai criar Hospital de Campanha em escola e pode adotar a Fase Roxa para o combate a COVID

Repórter ABC | Luís Carlos Nunes – Diante do cenário de gravíssima crise estampada em São Paulo, especialmente na região metropolitana, o governo do Estado irá criar um hospital de Campanha em escola no jardim Heliópolis, no sul da capital. A informação foi passada em podcast da Rádio CBN no início da noite desta 3ª feira (09.mar.2021). Não se descarta a possibilidade de que outros prédio escolares sejam utilizados para o mesmo fim.

Segundo ainda a transmissão, o Estado deve adotar medidas mais restritivas, migrando para a Fase Roxa.

A possibilidade já foi aventada  pelo coordenador do centro de contingência do estado, Paulo Menezes no dia 27 de fevereiro .

“Estamos discutindo a possibilidade e a necessidade de uma fase ainda mais restritiva que a vermelha”, disse.

São Paulo vive momento ímpar onde no dia de hoje (3ª feira 9), foram registrados óbitos de pessoas sem receber cuidados médicos por falta de leitos hospitalares e mão de obra suficiente.

Nas redes sociais explodem, principalmente da região metropolitana de prefeitos fazendo apelos diante do temor e da gravidade por não conseguir atendimento à população.

Hoje foi registrado por toda a imprensa que 11 pessoas morreram em Taboão da Serra sem conseguir atendimento, sem conseguir vaga em UTI. O mesmo aconteceu em Ribeirão Pires com duas pessoas.

Nesta 3ª feira são 32 municípios Estado de São Paulo com 100% de ocupação de UTI, sendo que a nível de estado, o nível de UTI é de 81%.

Diante deste cenário, é muito possível que o governador Doria ainda nesta semana se pronuncie e publique medidas mais enérgicas, a exemplo da fase roxo.

Esta é uma 3ª feira muito difícil onde o estado amarga a triste marca de 517 óbitos nas últimas 24 horas. O maior número até então havia sido atingido no dia 2 de março quando foi computado 468 mortes pela COVID. Atualmente, a média móvel é de 298, a maior desde o início da pandemia.

O papel de coerência surgiu com a justiça. Conforme noticiou o Repórter ABC hoje a A juíza Simone Gomes Rodrigues Casoretti decidiu que o governo de João Doria (PSDB) não pode obrigar os professores e outros trabalhadores da educação a voltar às aulas presenciais nas escolas sem o controle da pandemia de COVID-19. Ver matéria clicando aqui.

Justiça proíbe Doria de obrigar professores a voltarem às escolas sem controle da pandemia

A decisão da Justiça inclui outros funcionários de escolas públicas e privadas e foi concedida no âmbito de uma ação movida por sindicatos ligados à educação.

“As disposições do Decreto no. 65.384, de 17 de dezembro de 2020, não observaram as bases centrais para o retorno às aulas e muito menos foi considerada a chamada “regra de ouro”, como mencionado no parecer da Secretaria da Educação, motivos pelos quais é possível concluir pela ausência de motivação válida e científica para a retomada das aulas presenciais nas fases vermelha e laranja do Plano São Paulo. Na fase mais aguda da pandemia, com número de mortes diárias ultrapassando o patamar de 1.000 e a incapacidade do sistema de saúde, o retorno presencial das aulas, ainda que com número reduzido e de forma opcional para os alunos, sem evidências científicas sobre o impacto na transmissão da covid, é medida contraditória e sem motivação válida”, argumentou a magistrada.

O procurador-geral de Justiça do Ministério Público de São Paulo (MP-SP), Mario Sarrubbo, recomendou ao governo paulista a suspensão de eventos esportivos, inclusive partidas de futebol, na Fase Vermelha do Plano São Paulo.

“Temos que diminuir ao máximo a circulação de pessoas para salvar vidas” … “cultos, missas e demais atividades religiosas de caráter coletivo devem ser suspensas”, disse o o chefe do MP em reunião sobre atividade religiosa como essencial.

Ver aqui.

MP recomenda suspensão de atividades religiosas coletivas e jogos de futebol

Para entrar em vigência, ela precisa ser referendada pelo governador João Doria ou pela Justiça.

Há expectativa de que no dia 14 de março, governadores de 22 estados, decretem um lockdown nacional como forma de combate à doença que segundo dados também desta 3ª feira, no país um novo recorde de mortes foi atingido, foram 1.972 óbitos nas últimas 24 horas. Por hora, os gestores estaduais acertam ações articuladas. Ver aqui.

Governadores assumem coordenação do combate a COVID e podem decretar lockdown nacional dia 14

Na contra mão do caos, está o prefeito em exercício de são Caetano do Sul, o vereador Tite Campanella que assumiu o comando do executivo municipal em 1º de janeiro após questões jurídicas ocorridas na cidade.

Em entrevista nesta 3ª feira ao Repórter Diário, Tite reafirmou a sua intenção de brigar na justiça para flexibilizar as regras sanitárias na cidade.

Conforme noticiou na data de hoje (3ª feira), o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu a eficácia do Decreto de SP, podando intenção do município de são José dos Campos de colocar a cidade na Fase Amarela do Plano São Paulo. Objetivo análogo ao do prefeito interino de São Caetano do Sul. Ver aqui.

Em entrevista o infectologista Fábio Leal disse que 10 casos da variante amazonense foi detectada na cidade de São Caetano do Sul.

Veja as lamentáveis, dissonantes e negacionistas declarações do prefeito biônico dadas aos competentes repórteres Carlos Carvalho e Leandro Amaral. Veja abaixo.

Deixe uma resposta