Ribeirão Pires: Motoristas de app fazem manifestação na Índio Tibiriçá contra preço dos combustíveis (VÍDEO)

Motoristas de aplicativos organizaram nesta 6ª feira (05.mar.2021) na rodovia Índio Tibiriçá no trecho Ribeirão Pires contra os constantes aumentos nos preços dos combustíveis promovidos pela Petrobras.

A caravana percorreu longo trecho da via estadual onde no Jardim Caçula fizeram uma concentração.

A Petrobras já anunciou a alta dos preços de combustíveis 5 vezes em 2021. A última tinha sido em 18 de fevereiro, pouco antes da troca de comando ser anunciada pelo presidente Bolsonaro. Nas ocasiões, a estatal sempre frisou que o aumento dos preços para a refinaria não impactam diretamente nos valores cobrados em postos de distribuição.

Com o novo reajuste, o preço da gasolina acumula uma alta de 41,5% em 2021 quando comparado ao último valor de 2020. Já o diesel subiu 34,1% neste ano. Os dados de fevereiro ainda não conhecidos, mas considerando o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), os combustíveis devem acumular uma inflação de 0,92% em 2021. Somente em fevereiro, houve uma alta de 3,34% no valor pago pelo consumidor final.

Com jornadas de trabalho prolongada, muitas vezes acimas de 12 horas diárias, de acordo como o Simtrapli, entidade que representa a categoria, desde que as empresas estão em atividade, ocorreram aumentos dos combustíveis, aumento de seguro de veículos, aumento do aluguel de automóvel, aumento da manutenção dos carros e aumento dos rastreadores. Já as tarifas pagas aos trabalhadores só baixaram.

Em 2015, o valor pago por km rodado aos motoristas era de R$ 1,25. Hoje, seis anos depois, os aplicativos pagam em média R$ 0,95 na Capital e R$ 0,90 na Região Metropolitana. No início havia um desconto de 25% das corridas. Agora o percentual de desconto varia entre 25% e 40%. Ou seja, os custos aumentaram, mas a remuneração dos motoristas caiu.

Deixe uma resposta