Manifestantes fazem ato contra o fechamento do Hospital de Campanha de Ribeirão Pires

Um grupo de pessoas organizou neste domingo (28.02.2021) em ato em protesto contra o fechamento do Hospital de Campanha de Ribeirão Pires, instalado nas imediações do Complexo Ayrton Sena, centro da cidade.

Munidos com faixas e cartazes os cidadãos pediam por vacina para todos e a manutenção  do equipamento de saúde que atendem pessoas contaminadas pela COVID-19. Além da cobrança pela manutenção do Hospital de Campanha da cidade e vacina para todos, os manifestantes soltavam palavras de ordem em defesa de um  Sistema Único de Saúde público e universal.

Diga não ao fechamento do Hospital de Campanha (a) amanhã poderá ser você! A saúde em Primeiro lugar!, dizia um cartaz carregado por uma manifestante.

O assunto tem mobilizado toda a sociedade local que diante a grave situação da pandemia teme perder a unidade que vem atendendo não somente os moradores da cidade mas também de cidades vizinha, como: Mauá, Rio Grande da Serra e Suzano.

O assunto ganhou força no último dia (24.fev)  quando o prefeito da cidade, Clóvis Volpi tornou de forma oficial a possibilidade, argumentando que a sua ocupação atingira 100% de sua capacidade de ocupação dos leitos e que naquela data restavam em caixa para o Hospital de Campanha apenas R$ 62.444,07, o que só manteria a estrutura em funcionamento até o dia 10 de março. Ver aqui.

Na 6ª feira (26.fev), através de nota oficial, a prefeitura informou que naquela data não estaria mais recebendo novos pacientes e que os mesmo estaria entrando na lista do cross para possível atendimento em outras cidades. Ver aqui.

O prefeito  municipal por sua vez, se dirigiu a Capital Federal para articular recursos para custear o Hospital de Campanha enquanto assessores rumaram para o Palácio Bandeirantes, sede do governo Estadual.

Foi só neste sábado, que o prefeito da cidade, em vídeo anunciou a conquista de um empréstimo junto ao Consórcio Intermunicipal do ABC o que garante por apenas 30 dias o Hospital de Campanha aberto. Ver aqui.

Em uma notícia mais atualizada, divulgada neste domingo (28.fev), diz que a Ministra Rosa Weber do STF acolheu pedido dos estados de São Paulo, Maranhão e Bahia para que o governo Federal arque com os custos de UTI de pacientes com Covid-19.

Segundo o governo estadual, com a decisão, o Ministério da Saúde terá que arcar com um total de 3.258 leitos de UTI no estado.

Deixe uma resposta