Apeoesp divulga quadro de contaminação da COVID-19 entre profissionais da educação nas escolas estaduais do ABC

Dados divulgados pela APEOESP, sindicatos dos professores do Estado de São Paulo, divulgados neste sábado (27.fev.2021), apontam que a educação paulista chegou à marca de 1.430 casos de COVID-19 entre estudantes, professores e outros trabalhadores da educação, em 715 escolas. Segundo a entidade sindical o monitoramento foi feito em pessoas que trabalharam presencialmente nas escolas.

No ABC Paulista, o quadro é preocupantes, foram diagnosticados 154 casos de COVID-19 em escolas estadual e 1 caso em escola particular. As 155 incidências na região representam 10,77% dos registros casos levantados pela APEOESP nas escolas públicas sob responsabilidade do governo do Estado de São Paulo.

A cidade com maior números de casos da COVID-19 no ABC é Mauá, onde em 27 escolas foram diagnosticados 84 casos da doença. Diadema está na segunda colocação com 38 registros confirmados em 26 escolas. Ribeirão Pires vem em seguida com 15 diagnósticos confirmados em 8 escolas estaduais, na sequencia Santo André com 7 casos confirmados em 7 escolas estaduais e 1 caso em uma escola particular. São Caetano do Sul com5 casos em4 escolas do Estado e São Bernardo do Campo, segundo as informações da APEOESP registra 4 casos em 3 escolas estaduais. Rio Grande da Serra é a única cidade do ABC onde segundo a APEOESP não houve registro divulgado.

Acompanhe abaixo o infográfico organizado pelo Repórter ABC com as informações divulgadas pela APEOESP e ao final os dados completos dos registros levantados pela entidade sobre a infecção de servidores da educação no estado de São Paulo.

Contaminação COVID-19 entre profissionais da educação nas escolas estaduais do ABC

Mauá

84

Diadema

38

Ribeirão Pires

15

Santo André

08

São Caetano do Sul

05

São Bernardo do Campo

04

Total de casos confirmados 155

Deixe uma resposta