Já pensou sofrer represália por defender algo que acredita? por Victor Rodrigues*

Já pensou sofrer represália por defender algo que acredita? Pois bem, é isso que está acontecendo comigo nesse exato momento.

Desde criança sempre vi o SUS (Sistema Único de Saúde) como algo incrível, muito desse amor veio por conta de minha avó materna, que como auxiliar de enfermagem batalhou por 3 décadas nos serviços públicos, tanto estadual como municipal, até mesmo colocando sua saúde em risco para o resto da vida (o que aconteceu).

Com minha infância toda introduzida neste mundo, decidi fazer o mesmo que minha avó, escolher a área mais humana da saúde, a área que mais requer contato e amor ao paciente. Iniciando na faculdade de enfermagem, percebi que faltava a Comunicação com o grande público, questões simples como por exemplo: como funciona o SUS? Qual a importância dele em nossas vidas? Quais meus direitos na saúde pública?. Perguntas que podem parecer bobas, mas que para a grande massa é algo de relevância. Foi então que decidi escrever sobre saúde – motivado por um amigo muito especial, que para não ser perseguindo deixarei o nome dele em off.

Claro que quando você toca em um assunto tão delicado e com muitas falhas sistêmicas, nem tudo é elogio, e aí que vem o motivo desse texto…

Ao criticar certas administrações públicas e setores que deveriam promover a vigilância em saúde e a fiscalização em uma pandemia para que um colapso na sistema público de saúde não ocorresse em tal Município, comecei a sofrer chantagens e até amigos começaram a ser questionados sobre minhas indagações.

Onde quero chegar? se eu que sou um simples estudante do último ano de enfermagem percebi e escrevi sobre o que ocorreria em Mauá se continuássemos naquele ritmo, como uma equipe técnica da ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL não percebeu?

Então, chegamos no dia 20/01/2021 e Mauá alcança a marca de 100% dos leitos de UTI ocupados, fato que mencionei semana passada e que quiseram desqualificar o questionamento como se eu estivesse explanando uma opinião política.

Usar máscara com o logo do SUS é fácil, quero ver ser dependente dele, negar ter plano de saúde mesmo que a empresa forneça, ficar 6 horas em uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) para ser atendido, ficar 3 meses na fila de um CAPS (Cento de Atenção Psicossocial) para ter atendimento psicológico, quero ver sentir o que 71% dos Brasileiros sentem todos os dias, isso sim é lutar pelo SUS.

Fica meu desabafo e os dizeres VIVA O SUS e NÃO VÃO ME CALAR!

*Victor Rodrigues é jornalista, foi Repórter Fotográfico na empresa CartaCapital, Colunista na empresa Bastidor Político e Técnico de enfermagem na empresa AACD

Deixe uma resposta