Prefeitura de Ribeirão Pires emite nota sobre operação da Polícia Civil na Upa Santa Luzia

A Prefeitura de Ribeirão Pires emitiu Nota Oficial nesta terça-feira (29) argumentando sobre a Operação Raio-X deflagrada pela Polícia Civil na Upa do bairro Santa Luzia.

Conforme noticiou o Repórter ABC – ver matéria aqui – os policiais adentraram na sede da Secretaria de Saúde em buscas de documentos capazes de comprovar possíveis irregularidade na saúde municipal.

Segundo a Nota Oficial da Prefeitura, os agentes tinham um mandato de busca e apreensão contra Osvaldo Coca Moralis que atuou pela Santa Casa de Birigui, OS contratada pela prefeitura de Ribeirão Pires para gerir a UPA Santa Luzia e outras unidades de saúde da cidade.

O governador João Doria (PSDB) disse em suas páginas nas redes sociais que não vai tolerar que o Estado seja vítima de inescrupulosos e determinou que o secretário de Saúde do Estado, Jean Gorinchteyn passe um pente fino para apurar contratos com Organizações Sociais.

Acompanhe abaixo a íntegra da Nota Oficial

Nota Oficial – Prefeitura de Ribeirão Pires

A Polícia Civil de São Paulo e o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público do Estado (Gaeco) cumpriu na manhã desta terça-feira (29/09) mandado de busca e apreensão contra Osvaldo Coca Moralis – que atuou pela Santa Casa de Birigui no município, entre janeiro de 2019 e janeiro de 2020. Osvaldo Moralis nunca teve vínculos com a Prefeitura de Ribeirão Pires.

O mandado foi cumprido na UPA Santa Luzia, unidade municipal gerida, por meio de contrato, pela Organização Social de Saúde, onde Osvaldo atuou.

A ação faz parte da operação denominada “Raio-x” – deflagrada nesta data (29/09).

A Prefeitura de Ribeirão Pires segue à disposição para colaborar, com todas as informações necessárias, na investigação realizada em âmbito estadual e nacional. Embora o objeto da busca e apreensão seja relacionado a Osvaldo Moralis, a Prefeitura determinou auditoria nos contratos com Organizações Sociais.

Conforme o Gaeco, trabalho de dois anos identificou a criação de “sofisticado esquema” de desvio de dinheiro público envolvendo empresários, agentes públicos e profissionais liberais.

“Há indícios de esquema de desvio de verba pública por meio da celebração de contratos de gestão entre organizações sociais e o poder público, em sua maioria, através de procedimentos licitatórios fraudulentos e contratos superfaturados.
No transcorrer da investigação, foram identificadas dezenas de envolvidos com o grupo criminoso divididos em diversos núcleos, cada um com sua colaboração na prática das infrações penais”, disse o Gaeco, em nota.

A Santa Casa de Birigui, contratada pela Prefeitura de Ribeirão Pires para fazer a gestão da saúde municipal, também foi alvo da operação. A instituição chegou à cidade em 2018, já no governo de Adler Kiko Teixeira (PSDB).

“Em decorrência desse trabalho investigativo foram expedidos 64 mandados de prisão temporária e 237 mandados de busca, sendo 180 no Estado de São Paulo e 57 em outras unidades da Federação, além do sequestro de bens e valores.

As prisões e as buscas se deram em dezenas de municípios do Estado de São Paulo, dentre eles Penápolis, Araçatuba, Birigui, Osasco, Carapicuíba, Ribeirão Pires, Lençóis Paulista, Agudos, Barueri, Guapiara, Vargem Grande Paulista, Santos, Sorocaba, bem como em cidades do Pará, Paraná, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul”, declarou o Gaeco.

Em documento mais recente, datado de 20 de janeiro de 2020 e protocolado em 02 de fevereiro do mesmo ano, consta que o senhor Osvaldo Coca Moralis exerce na data o cargo de Gerente de Projetos da Santa Casa de Birigui conforme pode-se verificar no documento abaixo:

Deixe uma resposta