ESCÁRNIO: CNJ aprova novo penduricalho para juízes: cada um passa a custar R$ 51 mil por mês

Na última sessão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) presidida por Dias Toffoli, aprovou-se mais uma mamata para os juízes. Com isso, cada magistrado passará a custar ao país R$ 50,9 mil por mês

Enquanto o governo Bolsonaro prepara-se para um corte brutal nas condições de contratação do funcionalismo público federal, o Judiciário vive clima de festa: na última sessão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) presidida por Dias Toffoli, na última terça-feira (8) aprovou-se mais uma mamata para os juízes. Com isso, cada magistrado passará a custar ao país R$ 50,9 mil por mês. Eles estão excluídos da reforma administrativa.

A resolução permite aos tribunais regulamentar o pagamento de 1/3 do subsídio do magistrado a título de compensação para juízes que atuarem simultaneamente em mais de uma vara do Judiciário ou acumularem “acervo processual” sob sua responsabilidade. A proposta era um pedido da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e foi levada ao colegiado pelo ministro Dias Toffoli em sua última sessão como presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do CNJ. informam as jornalistas Idiana Tomazelli e Adriana Fernandes de O Estado de S.Paulo.

Dados do próprio CNJ revelam que o custo médio de um magistrado para a administração pública está bem acima do que seria a sua remuneração bruta. O gasto por magistrado é calculado em R$ 42,5 mil mensais na Justiça do Trabalho, R$ 52 mil na Justiça Federal e chega a R$ 75,4 mil no Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Deixe uma resposta