‘Defenda o Livro’: Mais que 1 mi de pessoas já aderiram à campanha contra taxação

Um abaixo-assinado vem ganhando peso na internet. Mais de 1 milhão de pessoas que apoiam a campanha “Defenda o Livro: Diga Não à Tributação de Livros”. O motivo é a reforma proposta pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, que encareceria o valor do livro com uma nova taxação. Para assinar a petição, clique aqui.

Nas redes sociais, a campanha ganhou o endosso das contas oficiais da Turma da Mônica, editoras como a Companhia das Letras e a rede de livrarias Saraiva.

Entenda a polêmica

Hoje, livros são isentos de tributação. Com o projeto de lei 3887/20, entregue por Guedes à Câmara dos Deputados no mês passado, as obras passariam a ser taxadas por meio da nova CBS (Contribuição Social sobre Operações de Bens e Serviços), em substituição ao Cofins (Financiamento da Seguridade Social e para os programas de Integração Social) e PIS/Pasep (Formação do Patrimônio do Servidor Público). O valor  do tributo foi unificado em 12%.

A medida é criticada por encarecer o livro em um mercado que só há um ano voltou a crescer no Brasil depois de uma crise. O aumento também tornaria mais inacessível a leitura em um país no qual somente 56% da população possui o hábito, segundo  a pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”, o maior estudo sobre o assunto.

Para assinar a petição, clique aqui.

Deixe uma resposta