CNJ abre investigação contra desembargador que humilhou guarda municipal

Corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, determinou a abertura de uma reclamação disciplinar contra Eduardo Siqueira. O ministro listou cinco condutas do desembargador que serão apuradas

O corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, determinou a abertura de uma reclamação disciplinar contra o desembargador Eduardo Siqueira, que desacatou e humilhou um guarda municipal em Santos, cidade do litoral de São Paulo. Agora, o desembargador paulista terá 15 dias para apresentar sua defesa ao CNJ.

O vídeo do episódio viralizou no final de semana passado. Na cena, Eduardo Siqueira desacatou um guarda municipal ao ser multado por insistir em desrespeitar o decreto que obriga a utilização de máscara em razão da pandemia. Ele então se identificou como desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo.

O ministro listou cinco condutas do desembargador que serão apuradas, entre elas “usar da influência do cargo de desembargador para deixar de usar máscaras de proteção contra a COVID-19 e/ou deixar de receber a multa (duas vezes)” e “chamar o Guarda Civil Municipal de “analfabeto” durante ligação telefônica com o Secretário de Segurança Pública, Sérgio Del Bel”.

Depois da polêmica, Siqueira chegou a pedir desculpas. Ele já havia agredido com tapas e socos o advogado Roberto Mehanna Khamis na mesma cidade.

Deixe uma resposta