Decotelli também exagerou seu currículo militar

O ex-ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, não edulcorou em seu currículo apenas seus feitos acadêmicos, mas militares também. Na apresentação feita pelo portal do Ministério da Educação na época em que assumiu a presidência do FNDE, Decotelli foi apresentado como “Oficial da Reserva da Marinha”.

Na verdade, Decotelli pertence à categoria da reserva de Segunda Classe da Marinha – é um “RM2”. Isso significa que ingressou sem concurso na Força para prestar lá um serviço militar temporário. Ao contrário dos militares de carreira, os temporários não passam pelas escolas de formação de oficiais e vão para a reserva sem remuneração.

Aos olhos de militares, o fato de um “temporário” se apresentar como “oficial da reserva” de qualquer Força soa “um exibicionismo indevido” – para dizer o mínimo.

Em seu currículo Lattes, Decotelli também se disse “Intendente Honorário da Marinha”. Trata-se de um título honorífico, uma condecoração de valor relativo, na avaliação de oficiais da Força. Ao contrário de honrarias como a Ordem do Mérito Naval ou a Medalha do Mérito Tamandaré, o título de “Intendente Honorário” não é dado pelo Presidente da República, mas oferecido pelo Secretário-Geral da Marinha. O Planalto teria feito bem se tivesse checado os cursos que o ex-ministro indica ter dado na Escola de Guerra Naval. Pode haver inconsistências. editado por Repórter ABC, com informações do UOL.

Deixe uma resposta