Carla Morando diz que houve “Boom de contaminação” após flexibilização da quarentena

A deputada estadual Carla Morando (PSDB), durante live produzida pela prefeitura de Ribeirão Pires por ocasião da inauguração do Parque Oriental (antigo Camping), questionada pelo secretário de Turismo do Estado, Vinicius Lummertz sobre a situação de São Bernardo do Campo diante a pandemia do coronavírus (COVID-19) disse que deu “Boom”.

“Deu um boom agora! Tava bem mais tranquilo! O problema é que entra e não sai tão cedo. Pelo menos 15, 20 dias fica ocupado”, disse a deputada que é esposa do prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando.

A fala da parlamentar é possivelmente o retrato fiel do que está acontecendo em toda a região do ABC onde após a flexibilização do isolamento social autorizada pelo governador do Estado João Doria que cedeu a pressão dos prefeito e liberou também a flexibilização nas sete cidades que compõem o ABC Paulista.

Desde o último dia 15 de junho, quando os prefeito começaram a autorizar a abertura de maior números de estabelecimentos comerciais há importante aumento no número de caos confirmados para coronavírus e também preocupante casos de óbitos.

Em 15 de junho o ABC registrava – segundo dados do governo do Estado – um total 13.842 casos da doença e neste 24 de junho, 10 dias após da vigência da Fase 2 (laranja), já são 18.606 casos confirmados. um incremento de  5.222 casos.

Dez dias antes da autorização da flexibilização que teve início em 15 de junho, o ABC computava 10.098 casos confirmados (5 de junho). No dia 14 de junho, chegou-se a 13.750 casos confirmados. Foram neste período anterior a Fase 2, somados 3.652 casos confirmados.

Após a flexibilização a região do ABC Paulista registrou 1.570 casos a mais do que no período anterior a flexibilização prevista pela fase 2.

Comparativo entre 10 dias antes e 10 dias após a flexibilização do isolamento social. Houve aumento de 1.570 casos confirmados de coronavírus após a flexibilização

Quanto aos óbitos registrados no ABC Paulista, houve substancial aumento nos números de casos em comparação aos mesmos períodos.

Enquanto entre os dias 05 de junho à 14 de junho morreram 157 pessoas, no período entre 15 de junho à 24 de junho foram apontados 198 óbitos. 41 mortes a mais.

Acompanhe abaixo infográfico produzido pelo Repórter ABC com base de dados do Governo do Estado de São Paulo.

Deixe uma resposta