Mauá: Maioria dos vereadores rejeita 2 pedidos de impeachment contra Atila

O placar foi de 11 votos pelo arquivamento e 10 para a abertura do processo de impeachment

A Câmara Municipal de Mauá rejeitou na tarde desta terça-feira (23) os dois pedidos de impeachment contra o prefeito Atila Jacomussi (PSB) por suposto superfaturamento em contratos de construção e de gestão do Hospital de Campanha da cidade.

O placar foi de 11 votos pelo arquivamento e 10 para a abertura. Porém, por unanimidade se votou pela instalação de uma Comissão Especial de Acompanhamento sobre o tema.

Um dos pedidos foi feito pelo pré-candidato à Prefeitura de Mauá, Mauro Roman (PRTB), e outra pelo vereador e pré-candidato a prefeito Marcelo Oliveira (PT). Marcelo votou a favor do impeachment de Roman, mas não pôde votar em seu próprio pedido por impedimento do regimento interno e da (LOM). O primeiro suplente do PT, o ex-vice-prefeito Paulo Eugênio Pereira Junior foi favorável à cassação de Atila.

Votaram favoráveis aos pedidos de impeachment os vereadores: Silvaldo Carteiro (PSL), Adelto Cachorrão (Republicanos), Fernando Rubinelli (PDT), Tchacabum (PDT), Professor Betinho (PSL), Melão (Cidadania) ,Marcelo Oliveira (PT), Irmão Ozelito (PSC), Gil Miranda (Republicanos) e Chico do Judô (PSD).

Votos contrários à abertura do processo cassação: Admir Jacomussi (Patriota), Chiquinho do Zaíra (Avante), Cincinato Freire (PSB), Jotão (SD), Pastor José (Avante), Ivan Stella (PSB), Ricardinho da Enfermagem (PSB), Betinho Dragões (PL), Samuel Enfermeiro (PSB), Severino do MSTU (PL) e Bodinho (Patriota). Presidente da casa, Vanderlei Cavalcante da Silva, o Neycar (SD), não vota e Manoel Lopes (DEM) não compareceu à sessão alegando ser grupo de risco.

Deixe uma resposta