SINEDUC emite nota sobre pedido de calote na previdência dos servidores de Ribeirão Pires. Prefeitura se manifesta em nota

O Sindicato do Professores Municipais de Ribeirão Pires (SINEDUC) emitiu nota na manhã deste sábado onde é demonstrado a indignação da categoria com o pedido aos vereadores da cidade para que autorizem ao governo do prefeito Kiko Teixeira (PSDB) para temporariamente de efetuar o pagamento das contribuições previdenciárias ao Instituto Municipal de Previdência de Ribeirão Pires (IMPRERP).

Segundo a nota do SINEDUC, “Desde que tomou posse em 2017 o Prefeito Kiko e o Vice Prefeito Gabriel Roncon têm demonstrado claramente que são inimigos dos trabalhadores e da cidade” e que  “recusa-se a pagar o Piso Nacional dos Professores e a Reposição da Inflação para todos os Servidores”.

A entidades sindical encaminhou aos vereadores da cidade uma cópia do referido documento solicitando apoio dos parlamentares de Ribeirão Pires.

A prefeitura de Ribeirão Pires em nota encaminhada ao Repórter ABC (e não divulgada nos canais oficiais) se posiciona denominando a matéria do Repórter ABC de fake news. Ver matéria clicando aqui.

Segundo o Executivo Municipal, a proposta do não recolhimento das contribuições previdenciárias patronal ao IMPRERP tem amparo da Lei Complementar do Governo Federal Nº 173, de 27 de maio de 2020.

Questionamento foi feito pelo Repórter ABC sobre a veracidade de uma “SUPOSTA NOTA” que circula em grupos de Whatsapp (e não divulgada nos canais oficiais) em nome da administração municipal na qual classifica a matéria do Repórter ABC como “FAKE NEWS”. Em resposta, a prefeitura através de seu departamento de comunicação disse que o enviado a redação foi “parte da nota foi o que enviamos a você”. Leia a íntegra da nota oficial da prefeitura de Ribeirão Pires ao final desta matéria.

Acompanhe abaixo a íntegra do documento oficial do SINEDUC.

“SINEDUC DENUNCIA
URGENTE!!!!!!!

Calote da gestão KIKO na Previdência Municipal já se aproxima de 10.000.000,00 (dez milhões) e ele quer autorização dos vereadores para aumentar a dívida!!
Se o calote de Kiko for autorizado, até dezembro o valor pode chegar a 20.000.000,00 (vinte milhões)!!

Servidor, Kiko quer te deixar sem aposentadoria.

Desde que tomou posse em 2017 o Prefeito Kiko e o Vice Prefeito Gabriel Roncon têm demonstrado claramente que são inimigos dos trabalhadores e da cidade.

Esta gestão gasta mensalmente DOIS MILHÕES com Cargos de Confiança; fez e desfez as próprias obras, pois continham grandes erros, gastando uma fortuna dos cofres públicos; inundou a cidade de “Zona Azul”; ignorou vários escândalos envolvendo seus Cargos de Confiança e, dedicou-se com afinco a destruir o salário e qualquer esperança de Carreira para os Servidores Públicos Concursados.

Agora, em 2020, recusa-se a pagar o Piso Nacional dos Professores e a Reposição da Inflação para todos os Servidores.
Calote na Previdência!

O Prefeito Kiko está comprometendo a APOSENTADORIA DOS SERVIDORES.

Ele apresentou à Câmara Municipal, para ser aprovado em Regime de Urgência, projeto de Lei que legaliza os meses não pagos (março a maio) e o autoriza a NÃO PAGAR mais a contribuição da Prefeitura para o IMPRERP.

Entenda: Você continuará pagando sua parte, 11%, mas a Prefeitura não pagará mais a parte dela, de março a dezembro de 2020. É um calote autorizado.

Isso poderá comprometer o pagamento dos atuais aposentados e impedir as futuras aposentadorias.

Ele diz que precisa do dinheiro para a Saúde!! Mas como? E os DOIS MILHÕES que gasta com cargos de Confiança? E os 13.827.273,30 (treze milhões, oitocentos e vinte e sete mil, duzentos e setenta e três reais e trinta centavos) que o Governo Federal já liberou para Ribeirão Pires???

O Sindicato dos Professores, SINEDUC, lutará contra esse atentado á moralidade, este crime contra a sobrevivência das famílias dos servidores.

DIGA NÃO!!! PROTEJA SUA APOSENTADORIA, EXIJA QUE NOSSOS VEREADORES VOTEM CONTRA O PROJETO DE LEI Nº 018!!”

Nota da prefeitura de Ribeirão Pires

“Diferente do que foi publicado pelo Repórter ABC sobre o Projeto de Lei Nº 18/2020, o Executivo Municipal, amparado pela Lei Complementar do Governo Federal Nº 173, de 27 de maio de 2020, propôs a suspensão TEMPORÁRIA do recolhimento da contribuição previdenciária patronal devida ao Regime Próprio de Previdência Municipal (até dezembro de 2020). O pagamento dos valores referentes à contribuição patronal será retomado a partir de 2022, garantindo segurança ao funcionalismo público municipal.

A proposta apresentada à Câmara Municipal segue as diretrizes do Programa Nacional de Enfrentamento à COVID-19 (Lei Complementar 173), discutida por Estados e Municípios de todo o País, por meio da Confederação Nacional dos Municípios, e aprovada pelo Congresso Nacional.

Como é de amplo conhecimento da população, a crise provocada pela pandemia do coronavírus causou impactos econômicos às cidades e Estados brasileiros, assim como também acontece por todo o Mundo.

Para que os Estados e Municípios honrem pagamentos de serviços e despesas essenciais, como a folha de pagamento de servidores públicos, medidas estão sendo tomadas em âmbito nacional.

A Prefeitura de Ribeirão Pires atende a todos os parâmetros legais e seguirá dando transparência aos esforços municipais para a superação dos efeitos da pandemia – especialmente na Saúde Pública e para amenizar os impactos financeiros desta crise global.

Vale destacar que recursos enviados pelo Governo Federal e pelo Governo do Estado para ações de combate ao coronavírus devem ser destinados exclusivamente a esta finalidade. Portanto, estes repasses não cobrem despesas permanentes da Prefeitura para outras áreas, como a folha de pagamento dos funcionários, por exemplo”.

Prefeitura Municipal da Estância Turística de Ribeirão Pires
Secretaria de Comunicação

Deixe uma resposta