Morre o jornalista Gilberto Dimenstein

Morreu nesta sexta-feira (29), aos 63 anos, o escritor e jornalista Gilberto Dimenstein, vítima de câncer de pâncreas. Dimenstein foi comentarista da rádio CBN, colunista da Folha de S.Paulo e fundador do site Catraca Livre. A causa da morte ainda não foi revelada. O jornalista escrevia um livro sobre sua experiência com o câncer no pâncreas, diagnosticado no ano passado.

Formado na Faculdade Cásper Líbero, foi diretor da Folha na sucursal de Brasília e correspondente internacional do jornal em Nova York. Trabalhou também no Jornal do Brasil, no Correio Braziliense, no Última Hora e nas revistas Visão e Veja. Dimenstein foi acadêmico visitante do programa de direitos humanos da Universidade de Columbia.

Jornalista premiado

Dimenstein ganhou o Prêmio Nacional de Direitos Humanos junto com Paulo de Evaristo Arns, o Prêmio Criança e Paz, do Unicef, Menção Honrosa do Prêmio Maria Moors Cabot, da Faculdade de Jornalismo de Columbia, em Nova York.

Também ganhou o prêmio Esso, na categoria principal, e o prêmio Jabuti, em 1993, de melhor livro de não-ficção, com a obra O Cidadão de Papel, que aborda os direitos da criança e do adolescente e sua aplicação na sociedade brasileira.

Deixe uma resposta