“Essa administração de Ribeirão Pires é uma vergonha”, diz Aarão Teixeira

O ex-prefeito de Rio Grande da Serra, Aarão Teixeira após breve período de taciturnidade, voltou a tecer análises sobre a administração de seu irmão caçula, o prefeito de Ribeirão Pires, Kiko Teixeira (PSDB).

Em um grupo de Whatsapp, Aarão fez duras críticas sobre a contratação por carta convite de uma empresa ligada a um pré-candidato na cidade.

“Essa administração de Ribeirão Pires é uma vergonha. Contratar a empresa da esposa do pré candidato a vereador por carta convite, sem licitação. Para fazer uma obra desnecessária nesse momento. Vai fazer como em Rio Grande, vai beneficiar os amigos e esquece da população. Não tem compromisso nenhum com a população”, propeliu Aarão na inicial.

Na continuidade, com mais cinco mensagens, Aarão prosseguiu em sua indignação:

E ainda ferra com os outros candidatos do próprio partido. 320 mil para arrumar um portal e cimentar um canteiro. Quem e o pré candidato??? Gil Hamada. Dinheiro pra fazer a campanha dele.

Junto aos seus típicos e contumazes comentários direcionados ao fratello alcaide ribeirãopirense, Aarão anexou documentos que comprovam os valores a serem utilizados nas obras e também a titularidade da empresa. Segundo os documentos expostos, a empresa Costa Leste – Construtora e Serviços Eireli que mantém contratos com a administração municipal desde a gestão do ex-prefeito Saulo Benevides está em nome de Eliane Hamada, esposa de Gil Hamada.

Corrigindo a informação do post de Aarão Teixeira, na verdade a senhora Eliana é esposa de Dalton Hamada (PTB) e não de Gil.

Conforme noticiou o Repórter ABC em 22 de outubro de 2019 na matéria intitulada “Kiko perde Projeto de quadra esportiva no Sebastião Vayego. Outros 2 projetos semelhantes já excederam no prazo de conclusão”, a Costa Leste – Construtora e Serviços Eireli foi a empresa contratada para a construção de quadras cobertas com vestiário na escola Escola Municipal Sebastião Vayego de Carvalho, em Ouro Fino Paulista. Na mesma publicação, o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE) anunciou através de seu Portal na internet que a obra havia sido cancelada.

Segundo o TCE, mesmo com a obra paralisada  pelo governo Kiko Teixeira e que tinha término previsto para 10 de maio de 2019,  a atual administração municipal repassou para a empresa Costa Leste a cifra de R$ 111.645,90. Ver matéria clicando aqui.

Acompanhe abaixo a documentação postada por Aarão Teixeira.

Comprovante de Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica – CNPJ

Comprovação de quadro societário da Construtora Costa Leste

Contratação da empresa Costa Leste para a execução de revitalização do canteiro central da avenida Humberto de Campos e reforma do portal por R$ 327.545,84

Deixe uma resposta