Santo André, Ribeirão Pires e Mauá iniciam exames de Covid-19 na Medicina ABC

O Laboratório de Análises Clínicas do Centro Universitário Saúde ABC / Faculdade de Medicina do ABC (FMABC) acaba de fechar parceria com os municípios de Santo André, Ribeirão Pires e Mauá para a realização de testes de detecção do novo coronavírus. A unidade iniciou esse trabalho em meados de março com São Bernardo e São Caetano, quando examinou cerca de 1.200 amostras em menos de um mês de trabalho. Em 10 de abril, o Instituto Adolfo Lutz publicou no Diário Oficial do Estado de São Paulo o credenciamento da unidade do ABC, dispensando de contraprova os resultados obtidos.

As coletas feitas nas UPAs de Santo André, por exemplo, começaram a chegar no último final de semana (18/04). Ao todo, o Laboratório da FMABC analisa média de 220 exames por dia. “Os municípios colhem as amostras dos casos suspeitos e nos encaminham. Nós realizamos a análise dos materiais e aplicamos metodologia própria, que desenvolvemos no início deste ano e que nos permite entregar os resultados, em média, entre 24 e 48 horas”, calcula o vice-reitor do Centro Universitário e coordenador do Laboratório de Análises Clínicas da FMABC, Dr. Fernando Luiz Affonso Fonseca.

A equipe do Laboratório iniciou a padronização da metodologia em janeiro e enviou o pedido de credenciamento ao Instituto Adolfo Lutz, que avaliou o protocolo utilizado, a condução da reação, a coleta das amostras e a forma como é feita a extração do material genético-viral. O processo foi aprovado e o Centro Universitário Saúde ABC passou a realizar exames para São Caetano e São Bernardo, cujos resultados positivos eram enviados para confirmação no próprio Adolfo Lutz. Desde a publicação do credenciamento no Diário Oficial, a contraprova não é mais necessária e os casos positivos são notificados diretamente à Secretaria de Estado da Saúde.

METODOLOGIA

O exame realizado no Centro Universitário Saúde ABC – FMABC é o de detecção do SARS-CoV 2, o vírus que causa a doença Covid-19. O Laboratório de Análises Clínicas faz a detecção a partir de uma região do gene viral.

A programação atual do Laboratório é para a compra de insumos para 2.000 testes a cada 15 dias. Contudo, hoje o local tem capacidade instalada para realização de 300 exames por dia – ou 7.000 mensais –, o que permite atender outras cidades que eventualmente necessitem do serviço.

Uma vantagem do método desenvolvido na FMABC é que garante maior autonomia, pois utiliza uma reação própria, desenvolvida segundo padrões internacionais e aprovada pelo Instituto Adolfo Lutz. Dessa forma, a unidade não depende necessariamente da compra de reagentes externos, cuja disponibilidade no mercado tem oscilado de maneira imprevisível.

Além do Dr. Fernando Fonseca, integram a equipe responsável pelo projeto os pesquisadores Beatriz Alves, Glaucia Luciano, Matheus Perez, Katharyna Gois e Marina Peres.

Deixe uma resposta