Marisa da Casas Próprias concede entrevista e fala sobre sua pré-campanha a prefeita de Ribeirão Pires

A pré-candidata a prefeito em Ribeirão Pires, Marisa da Casas Próprias concedeu entrevista nesta terça-feira (16) aos jornalistas Carlos Carvalho e Leandro Amaral do Repórter Diário.

Num ambiente democrático e dinâmico, a prefeiturável  foi indagada o porque você aceitou a candidatura?

“Eu aceitei esse desafio por me sentir capaz, por me sentir competente para levar adiante os projetos de uma equipe. O que me levou a aceitar o convite foi justamente que as propostas do partido, elas coincidiam com o meu pensar, as minhas expectativas para minha cidade, as vontades de mudança e definitivamente as vontades de mudança”, falou.

Jornalistas Leandro amaral e Carlos Carvalho do Repórter Diário

Numa nova pergunta apresentada, desta vez sobre se alguém na sua familiar já havia participado de política e como sempre é a sua vida social em Ribeirão Pires, ela respondeu:

“Nunca! Eu nunca tive nenhum familiar na política eu nunca entrei na Câmara de Ribeirão Pires! Eu nunca tive acesso a nenhum cargo na política! Muito pelo contrário, eu sempre me furtei destes assuntos, eu sempre estive distante de tudo isso. Inclusive hoje eu tenho uma certa dificuldade porque as pessoas falam que eu não tenho experiência política. Eu não entendo assim”.

Em outro questionamento, foi perguntado sobre qual é a pior dificuldade hoje e qual o principal ponto da sua entrada nessa vida política em Ribeirão Pires.

“Pessoas do Solidariedade coloraram em minha cabeça que eu poderia ser candidata”, Marisa da Casas Próprias

“Eu… as maiores dificuldades da cidade hoje é lidar com as deficiências orçamentárias, é fazer a cidade crescer com poucos recursos. Então nós precisamos é… agente percebe que a cidade não deslancha, a cidade não cresce. Temos uma péssima referencia na saúde, péssima referencia de infraestrutura. A periferia está totalmente abandonada por diversas situações, entre elas cargos comissionados, é… obras superfaturadas, desvio de recursos entre outras situações. O nosso desafio é justamente este, trazer pra cidade uma outra qualidade de vida diferente desta que vem acontecendo nas últimas gestões. Não esta gestão, não é a anterior, é uma sequencia de gestões”, argumentou Marisa.

Sobre o que ela poderia trazer da sua experiência na iniciativa privada para a administração pública, Mariza foi perguntada sobre o que ela poderia emprestar para melhorar a cidade, Marisa disse: “Olha, força de trabalho, eu acredito que para ter um bom governo, você precisa ter disposição para o trabalho, lealdade e precisa ter caráter”…

Sobre qual seria a primeira área ser atacada para tentar melhorar a situação de Ribeirão Pires.

“Sem sombra de dúvidas nenhuma, a infraestrutura! A cidade está. Todos agora acordaram e tem o mesmo discurso. Tem pessoas que já passaram por lá e não fizeram, todo mundo tem a visão. Então a nossa prioridade máxima. Então a nossa prioridade é a Infraestrutura e a Saúde”.

Talvez, sem perceber, ou agindo sob mando de sua inconsciência, a pré-candidata Marisa da Casas Próprias acabou desferindo um duro ataque ao presidente municipal de seu partido. Julião de Lima foi secretário de Infraestrutura no governo de Saulo Benevides.

Já na segunda metade da entrevista, argumentando sobre as dificuldades do pleito eleitoral de outubro, Marisa da Casas Próprias disse:

“Você viver 100% do seu dia a dia na periferia… Ninguém me conhece no centro da cidade… meu dia a dia é na periferia. Eu não frequento a elite, não frequento locais badalados, então as pessoas da periferia me conhecem. Se eu vier aqui com um discurso diferente do discurso voltado para a periferia, as pessoas vão saber que não é a Marisa que está falando. Então as pessoas me conhecem e sabem quem sou. Hoje a dificuldade que vejo são em torno disse: ela não tem experiência política, como ela vai governar uma cidade. Eu não dirijo a minha empresa sozinha, eu tenho em média 35 funcionários que são o meu exército, elas são as minhas pessoas de confiança”.

Sobre o pensamento em comum que a levou para o partido Solidariedade e o que a encantou, Marisa foi enfática ao dizer que aceito por mudança.

“Mudança! Não tem outra palavra pra explicar o que me trouxe a aceitar o convite! O meu aceitar não foi de uma hora para outra. Não é assim, chegou lá convidou, olha meu projeto é esse e eu fui aceitando! Eu demorei, eu estudei. Eu estou num momento da minha vida, estou num momento da minha vida não é que eu não precisava disso, eu não almejava isso, eu não buscava isso. Aí derrepente esse povo chegou e eles por diversas vezes, diversas e diversas vezes essa pessoa vieram até mim conversaram comigo e aos poucos colocaram na minha cabeça da necessidade de mudança e de que eu era capaz e precisavam da minha ajuda”.

Entre as possíveis pessoas a qual se refere Maria da Casas Própria – que a procuraram para ingresso no Solidariedade – estão o presidente nacional da agremiação, Paulinho da Força que recentemente gravou vídeo em apoio ao seu nome e também o atual presidente do Solidariedade, o ex-secretário de Infraestrutura do Governo Saulo Benevides, Julião de Lima.

Acompanhe abaixo a íntegra da entrevista diretamente da página do Repórter Diário.

Deixe uma resposta