Alimento arrecadado no Festival do Chocolate 2019 foi alvo de ratos. Coordenação foi avisada e mesmo assim não inspecionou os alimentos antes de repassar às entidades de Ribeirão Pires

      

*Todas as fotos foram feitas com amostras por tipo de alimento

Uma fonte anônima encaminhou ao Repórter ABC uma grande quantidade de fotografia e prints de conversas do Whatsapp que apontam que ratos defecaram e se alimentaram de alimentos arrecadados ao longo da 13ª edição do Festival do Chocolate de Ribeirão Pires.

O evento que foi organizado pela ACIARP e a Coordenação do vice-prefeito Gabriel Roncon (PTB) e a da Primeira Dama da cidade e Presidente do Fundo Social da cidade, Flávia Dotto teve com um dos principais pontos de troca de alimentos por ingressos o Centro de Exposições e História Ricardo Nardelli, localizado ao lado do Paço Municipal.

Segundo a denúncia e as imagens apresentadas, após os shows os alimentos não eram retirados devido à falta de veículo suficiente e eles ficavam a noite toda no local, sendo retirados somente no dia seguinte ou até mesmo durante a semana, o que fazia com que os alimentos ficassem dias expostos à ação dos ratos. “Vale salientar que quando eu falo de ratos, não falo de camundongos, mas de ratazanas de esgoto”, disse nossa fonte referindo-se ao tamanho dos ratos.

Segundo ainda disse o servidor municipal, “o local era insalubre, tinha muitas fezes e cheiro de urina no ar. O alerta do risco foi dado à coordenação do Festival. Mas parecia que não queriam resolver o problema. O local em momento algum foi vistoriado pela vigilância sanitária. Como medida, eles decidiram espalhar veneno nos cantos das paredes para matar os roedores. O que só agrava o problema! Nunca se deve ou deve misturar veneno próximo a comida, por razões de segurança e saúde pública! Só no museu, foram arrecadados 30 toneladas… ”, argumentou.

Questionado sobre a afirmação feita de que tanto o vice-prefeito Gabriel Roncon e a primeira Dama, Flávia Dotto estavam cientes do que estava acontecendo, nossa fonte encaminhou prints de conversas trocadas com o Fundo Social, que prometeu resolver, mas nada fez.

“Esse material está começando a vazar agora, era um segredo guardado a sete chaves. Tem outras pessoas que receberam também. Teve uma reunião específica para tratar do problema da falta do Laudo de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB). Nesta oportunidade o tema dos ratos já estava sendo apresentado. Participaram da reunião o vice-prefeito, a Flávia Dotto e a equipe dela. Resolvido o problema da licença, passado o primeiro final de semana da festa, já no dia da coleta do alimento trocado por ingresso, pode-se ver a cena lá no Museu. Tinha muitas fezes e comida violada, rasgada pelos ratos. O local fica ao lado do Ribeirão da Avenida Pref. Valdírio Prisco e no Paço tem uma ninhada grande de ratazanas”, falou.

Segundo publicação feita pela Prefeitura de Ribeirão Pires, datada de 22/08/2019, “O Fundo Social de Ribeirão Pires realizou na noite dessa quarta-feira, dia 21, evento que marcou a entrega simbólica das 126 toneladas de alimentos arrecadados durante o 13º Festival do Chocolate. Os mantimentos, trocados por ingressos para o evento, contemplarão cerca de 8 mil famílias assistidas por 151 instituições assistenciais, religiosas e associações de moradores de bairro do município. O evento foi promovido no Di Fieri, com o apoio de parceiros, sem gerar custos ao Fundo Social”… Clique aqui para ver a matéria.

Uma outra informação relevante que circula amplamente nas redes sociais neste pós-Festival do Chocolate, são dois áudios onde duas mulheres relatam que a Primeira dama foi vista por algumas vezes entregando cestas básicas nos bairros a pessoas não oficialmente relacionadas no cadastro municipal de pessoas carentes.

Em outro áudio postado de autoria de um servidor comissionado, o mesmo afirma que já pegou cesta para um conhecido e pessoalmente entregou.

Riscos causados pelo rato à saúde humana
Roedores podem transmitir 40 doenças

Estima-se que os roedores são responsáveis pela transmissão de 40 doenças, e o rato é considerado o principal transmissor. Entre todas as enfermidades podemos citar: leptospirose, peste bubônica, tifo murinho, febre de mordida de rato, raiva, sarnas, triquinose, salmonelose, micoses, hantavirose, entre outras.

Leptospirose: trata-se de uma infecção aguda, uma doença bacteriana que afeta seres humanos e animais causada por uma bactéria do gênero Leptospsira. É altamente recomendável prevenir-se, pois a leptospirose pode ser assintomática. Porém, quando os sintomas são manifestados é comum a presença de febre alta, dor muscular (especialmente na panturrilha, cabeça e tórax), olhos vermelhos, tosse, cansaço, calafrios, náuseas, diarreia, desidratação, manchas vermelhas no corpo e meningite.

Hantavirose: é uma doença potencialmente fatal transmitida aos seres humanos por roedores. Em alguns casos, a hantavirose não manifesta sintomas. Todavia, nas fases iniciais os principais sintomas são febre alta, dor muscular, náuseas, vômitos, diarreia e dor de cabeça.

Escabiose (sarna): é uma doença infecciosa, causada pelo parasita Sarcoptes scabie, esse parasita alimenta-se de queratina, a proteína que constitui a camada superficial da pele. Os sintomas manifestam-se na pele por meio de pequenas lesões eritematosas quem podem formar uma crosta por causa da coceira.

Peste bubônica: trata-se de uma doença grave e muitas vezes fatal. É causada pela bactéria da peste, Yersínia pestis, que é transmitida por roedores. A maioria dos indivíduos que não procuram tratamento morrem nas 48 horas que sucedem o início dos sintomas. Os sintomas são febre alta, apatia, vertigens, tremores, intolerância à luz, cefaleia, aumento da frequência cardíaca, cansaço, tosse seca e depois com sangue e aumento dos linfonodos. A doença matou muitas pessoas durante a Idade Média, mas, até nos dias de hoje diversos casos da peste bubônica são registrados.

A prevenção é o caminho mais rápido, barato e fácil para eliminar riscos em relação à sua saúde. Não deixe a sua vida e a da sua família em perigo.

Deixe uma resposta