Lula sinaliza pela primeira vez o desejo de não se candidatar em 2022

Em sua nova entrevista, ex-presidente acusa Bolsonaro de não governar o país e passar “24 horas discutindo fake news”

Na entrevista de Luiz Inácio Lula da Silva publicada pelo jornal britânico The Guardian nesta sexta-feira (22), o ex-presidente disse que seu partido está se preparando para voltar ao poder. Ao ser questionado sobre uma possível candidatura, Lula contemporizou:

“Em 2022 eu estarei com 77 anos. A Igreja Católica, com seus 2.000 anos de experiência, aposenta seus bispos aos 75.”

O ex-presidente disse que sua principal missão no atual contexto é “lutar pela democracia”, e não poupou críticas ao governo Bolsonaro:

“Temos um presidente que não governa, que senta e fica discutindo fake news 24 horas por dia”, comentou.

O ex-presidente, que deixou a superintendência da Polícia Federal no dia 9 de novembro, após decisão do Supremo Tribunal Federal que considerou inconstitucional a prisão em segunda instância, expressou ceticismo em relação ao futuro da administração Bolsonaro:

Política externa

O ex-presidente criticou a condução da política externa, que está sob comando do chanceler Ernesto Araújo. Desde a posse de Bolsonaro, o Itamaraty modificou a posição do Brasil em áreas nas quais o país era considerado pioneiro, como o meio ambiente.

“A submissão ao Trump e aos EUA… é realmente uma vergonha […] a imagem do país está negativa agora”, disse.

“O meu amigo Evo cometeu um erro ao tentar um quarto mandato, mas o que fizeram com ele foi um crime. Foi um golpe – e isso é terrível para a América Latina.”

Deixe uma resposta