Kiko diz não ter dinheiro para a saúde mas seu gabinete consome R$ 1,2 milhões por ano com comissionados

O Projeto de Lei nº 062/2019 encaminhado pelo prefeito Kiko Teixeira que solicita autorização dos vereadores de Ribeirão Pires deverá ser votado na sessão desta terça-feira 1(2).

Segundo a proposta Kiko quer manobrar R$ 8.127.000,00 para cobrir custos com a Saúde municipal.

“A presente proposta visa atender necessidades das Secretaria de Saúde, Turismo e Desenvolvimento Econômico e Serviços Urbanos. A realocação de quotas faz-se imprescindível para a Secretaria de Saúde para dar continuidade aos convênios firmados, posto que não há mais saldo orçamentário para realização de empenhos, bem como para manutenção dos contratos de medicamentos, materiais de enfermagem e locação de transporte”, diz Kiko em mensagem aos vereadores. Clique aqui e acompanhe a reportagem do Repórter ABC de 7 de novembro deste ano.

Como fonte para custear o rombo, o prefeito está propondo a retirada de investimentos da Publicidade, Educação Infantil e Fundamental, conservação de vias e manutenção da cidade, Ação Social, Cultura. Ver a íntegra do projeto ao final.

Somente da Educação, Kiko pretende ceifar R$ 1.318.000,00 quase o mesmo valor ao qual gasta com a manutenção de seu gabinete, somente com a contratação de 23 assessores de seu gabinete.

Pela proposta a cultura perderá R$ 450 mil e a Ação Social R$ 677 mil.

Segundo dados oficiais do governo, os 23 cargos de confiança consomem mensalmente do erário público R$ 92 mil, com um custo médio aproximado de 4 mil cada assessor.

Durante o período de um ano, levando-se em consideração o 13º salário ao qual fazem jus, esses comissionados custam R$ 1.196 milhão ano e em 4 anos, são R$ 4.784 milhões.

Nesse último caso, não foi calculado os encargos e benefícios que podem ao longo de 4 anos chegar a cifra de R$ 6 milhões. Em julho deste ano, entre secretários e comissionados, Kiko Teixeira loteou a administração municipal com 233 nomeados.

Apenas para efeito comparativo, esses valores seriam suficientes para a conclusão das obras do novo hospital e mais do que capaz de cobrir a manobra contábil proposta que é retirar  R$ 1.318.000,00 da educação de  para honrar com o setor da saúde.

Conforme noticiou o Repórter ABC em 7 de novembro, através de ato oficial o prefeito Kiko autoriza por exemplo, o aumento com gastos em publicidade. Ao mesmo tempo em que pede remanejamento de R$ 585 mil para outras área ele está autorizando gastos que juntos somam R$ 1.439.000,00 somente na divulgação publicitária. Como pode-se verificar abaixo através da publicação feita no Diário Oficial do Município. Após, acompanhe o Projeto de Lei nº 062/2019.

Projeto 062/2019 solicitando autorização de remanejamento orçamentário no valor de R$ 8.127.000,00 de setor sociais

Deixe uma resposta