Comissionado de Kiko afirma que pobre tem tendência a roubar e que população reclama muito

Avrahan Pedro Oliveira ladeado por Kiko Teixeira e a primeira dama Flávia doto, exala preconceito e elitismo

Uma fala estarrecedora foi proferida por um comissionado da prefeitura de Ribeirão Pires durante um diálogo no grupo de Whatsapp denominado “Fale aí Ribeirão Pires”.

Assumindo visão preconceituosa e discriminatória contra com razões econômica e sociais, Avraham Pedro Oliveira disse a um interlocutor que “E aí… eu volto a dizer que quem é estudado tende a roubar menos estudar quem não é!. Isso é uma realidade! Mas tem gente que é estudada e rouba… Tem! Mas a tendencia é bem menos! Se eu por dez analfabetos e dez estudados, os dez analfabetos já roubaram e os estudados não!”. Ouça o áudio abaixo.

Seguindo, mais adiante, Abrahan propaga a sua insana visão preconceituosa e o seu viés autoritário, ao questionar cobranças que são feitas pela sociedade local que cobra melhor oferta de serviços públicos.

“Sabe qual é o mal? é que tem muitas pessoas iguais a você em ribeirão Pires, só sabe reclamar mas não apresenta nenhuma solução, não dá uma ideia nem nada! Mas reclamar cara, Ribeirão tem muitas pessoas assim, infelizmente! Se não tem ambulância para fazer o transporte do passageiro da UPA pra um hospital reclama! Se não tem ambulância pra levar o idoso pra fazer o tratamento em outra cidade, reclama! Reclama de tudo! Quer dizer, agora tem ambulância demais, tá reclamando! Se não tem, t[a de menos, tá reclamando!”

Ainda sobre a argumentação de que os pobres tende a roubar, Avrahan apresentou alguns números no afã de impor a sua estreita visão totalitária. Na tese defendida, onde é exposta a população carcerária não foi mencionada questões étnicas, de cor da pela nem tão pouco uma explanação sociológica e nem os tipos de crimes. Como era de se esperar não foi falado sobre situação característica por qual passa casos de colarinho branco.

“8% da população carcerária de são paulo são analfabetos. Agora você vai ver o restante! A maioria são analfabetos, são semi analfabetos porque ensino fundamental é semi-analfabeto. Alguns conseguiram concluir o ensino fundamental.

Acompanhe

No mínimo, esse dito letrado deveria ser enquadrado com os rigores da Lei por caluniar e difamar coletivamente um grupo social por questões econômicas e intelectuais. Para um representante do poder executivo, que recebe salário com recursos públicos é no mínimo uma situação constrangedora. Não é fato inédito! Recentemente o Repórter ABC recebeu material onde o Secretário Municipal Diogo Manera prega preconceito com munícipe por o mesmo ter errado em ortografia e ainda chamar outro cidadão de doente mental por questionar a qualidade de asfalto feito na cidade. Ver matéria aqui e aqui.

O comportamento de pessoas que ocupam cargo de confiança é um verdade batom na cueca de Kiko. Caso o prefeito se cale estará avalizando e autorizando que esta barbárie prossiga e que novas vítimas sejam feitas na cidade.

Deixe uma resposta