Em entrevista, Gabriel Maranhão fala sobre a queda das receitas e esclarece sobre a necessidade provisória de mudança do dia de pagamento de salário dos servidores.

Em entrevista ao Repórter Diário na noite desta quinta-feira (17), o prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (Cidadania) falou aos jornalistas Carlos Carvalho, Leandro Amaral e Samuel Boss sobre as dificuldades financeiras por que passa a cidade em função da abruptada queda nos repasses Federais.

Segundo argumentou Maranhão o Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB) tiveram drásticas reduções com relação ao ano passado.

“A previsão é de que Rio Grande da Serra receberá no ano de 2019 aproximadamente R$ 17 milhões do FPM. São R$ 7 milhões a menos do que o repassado no ano passado quando houve o maior repasse da série histórica, que começou em 2008. Em relação ao Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), o repasse caiu de R$ 710,4 mil para R$ 532,4 mil”, argumentou.

Segundo ainda o prefeito, “a cidade está sofrendo com a falta de repasses do Ministério das Cidades (Ministério do Desenvolvimento Regional), pois temos de arcar com os pagamentos das cestas básicas, dos alugueis sociais e também atuar na área da saúde”, completou.

Outro ponto destacado por Gabriel Maranhão, diz respeito à proposta de alteração temporária no dia do pagamento do salário dos servidores municipais. Desculpando-se com o funcionalismo, Maranhão afirmou que a mudança no pagamento dos salários dos servidores do quinto dia útil para o décimo dia de cada mês valerá até o fim do ano.

“A situação de ter que mudar a data de pagamento não é fácil. Mas infelizmente o que nós vemos é que falta falar a verdade em relação aos nossos adversários. Esse projeto de lei mostra a seriedade da nossa gestão. O projeto mostra a garantia para todos os funcionários que a partir de janeiro eles vão voltar a receber no quinto dia útil”, explicou o chefe do Executivo.

Segundo dados apresentados por Gabriel Maranhão, em setembro, os cerca de mil servidores receberam no dia 10 e o prefeito, a vice-prefeita Professora Marilza (PSD), e os secretários receberam no dia 24. Em outubro, os professores receberam seus salários no quinto dia útil, os demais no dia 10 e os entes do Poder Executivo vão ter seus salários na próxima segunda-feira (21).

Gabriel Maranhão disse que a votação do projeto de lei sobre a mudança no dia do pagamento ocorrerá na próxima semana e que já convocou sua base aliada para explicar com mais detalhes a propositura que causou uma série de críticas da base oposicionista e também dos servidores que foram algumas vezes até o Legislativo para cobrar os vereadores sobre o assunto.

“Apesar de todas as dificuldades, não estamos deixando de realizar os pagamentos, importantes programas sociais estão mantidos, estamos criando a Guarda Municipal equipada e a cidade passa por um grande projeto de urbanização”, concluiu.

Deixe uma resposta