Kiko frustra inscritos na “Frente de Trabalho”. Amigão D’orto cobra agilidade e respeito com a população

Através de publicação feita em sua página no Facebook, o vereador Amigão D’orto apresentou resposta a um questionamento que fez ao prefeito Kiko Teixeira sobre a sobre a demora para as contratações do “Programa Emergencial de Auxílio-Desemprego”, denominado “Frente de Trabalho”.

“Na sessão ordinária do dia 19/09/2019, questionei o Poder Executivo sobre a demora para a contratação das pessoas que ficaram horas na fila para a oportunidade de emprego na chamada frente de trabalho”, disse o parlamentar.

No Requerimento nº 1008/2019, Amigão questionou:

  1. Qual a quantidade de trabalhadores selecionados para a Frente de Trabalho;
  2. Qual a data em que serão contratados;
  3. Quando se dará o início dos trabalhos desse projeto e porque a demora nas contratações?”

Em resposta, o governo Kiko Teixeira respondeu:

  1. Que o Edital final que determina a classificação do “Programa Emergencial de Auxílio-Desemprego”, denominado “Frente de Trabalho” não foi publicado. portanto não há total de inscritos selecionados
  2. Não há previsão de convocação.
  3. Não há previsão e ocorre demora por conta de trâmites administrativos.

Segundo Amigão D’orto, “é urgente que se faça o quanto antes a publicação do referido edital final de classificação seja publicado o quanto antes uma vez, que em função da grave crise econômica por que passa o país impõe duro flagelo a população que se encontra desempregada enfrentando dificuldades para a garantia de direitos básicos. É preciso dar maior rapidez nesse processo e chamar logo o povo para trabalhar. Enquanto isso o executivo continua a contratar mais cargos comissionados”, disse.

Em Ribeirão Pires o processo de inscrição para a Frente de Trabalho teve início no dia 28 de maio. Conforme noticiou o Repórter ABC. Ver aqui.

O Programa oferece 300 vagas das quais 3% são destinadas para portadores de deficiencia física.

Os participantes selecionados pelo Programa terão direito a bolsa-auxílio correspondente a 75% do salário mínimo nacional; cartão alimentação de R$ 100 mensais; auxílio-transporte; seguro de acidentes pessoais; uniforme e equipamentos de segurança; qualificação profissional.

A jornada de trabalho será de seis horas diárias, cinco dias por semana, dos quais um dos dias será destinado à participação em qualificação profissional, com carga horário de seis horas/dia. O horário de trabalho será das 7h às 13h ou das 12h às 18h, com 15 minutos de intervalo para descanso. Para maiores informações clique aqui.

Deixe uma resposta