Bolsonaro classifica como “besteira” a denúncia de tortura generalizada no Pará

Congresso em Foco – O presidente Bolsonaro classificou como “besteira” a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) sobre supostas torturas sofridas por detentos do Pará. Quando questionado sobre o assunto, o presidente encerrou a entrevista e “orou” pela imprensa.

> MPF diz que presidiários estão sofrendo torturas generalizadas no Pará

“Deixa eu orar aqui agora. Não sou pastor, não. Meu Deus, salve, lave a cabeça dessa imprensa fétida que nós temos. Lave a cabeça deles, que bote coisas boas dentro da cabeça, que possam perguntar, me ajudar a publicar matéria para salvar o nosso Brasil. Eles não viam problemas em governos anteriores. Vamos ajudar o Brasil. Vocês são importantíssimos para salvar o Brasil. Parem de perguntar besteira”, disse Bolsonaro.

A denúncia classificada como besteira pelo presidente, aponta que a força-tarefa enviada pelo ministro Sergio Moro para conter a crise penitenciária do Pará, está torturando homens e mulheres presos no estado. Segundo o MPF as torturas vão desde violação anal, pregos nos pés, urina de rato e ordem para que mulheres sentem nuas em formigueiros.

Mesmo diante dos vídeos, fotos e relatos de autoridades do MPF, presos, funcionários e parentes das vítimas, o ministério chefiado por Sergio Moro, através do Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN), solicitou à AGU que providencie os meios jurídicos necessários para a revisão da decisão judicial que afastou o comandante da força-tarefa, acusada dos crimes, além de negar todos os atos.

Deixe uma resposta