Estrutura da Guarda Municipal de Ribeirão Pires está sucateada

 

Órgão responsável pela proteção do patrimônio público está com viaturas quebradas e Sede em situação de abandono

A Guarda Civil Municipal (GCM) de Ribeirão Pires, instituição que tem papel primordial na proteção do patrimônio público e na segurança pública do município, está sucateada com carros quebrados, bases desinstaladas, sua Sede em completo abandono e operando em péssimo estado e algumas aquisições que não trouxeram melhorias efetivas.

Viatura sucateada com pneus carecas

Não fosse o heroísmo, bravura e determinação pessoal dos Guardas a situação seria em muito agravada. Não são poucos os elogios e reconhecimentos por parte da população e autoridades.

O descaso é relatado por servidores públicos municipais – em momentos diferente e voluntariosamente – que procuraram o Repórter ABC sob a condição de anonimato. Em alguns casos, não há sequer equipamentos para os guardas exercerem sua função.

O prédio

Instalados desde 2012, onde no local era sede da Polícia Militar  que deixou as instalações exatamente por não  apresentar a mínimas condições, a GCM enfrenta uma dura realidade com vestiário sujo, armários inadequados e parcialmente destruídos pela ação do tempo e uso, instalações elétricas cheias de “gambiarras”, piso desgastado e em mal estado.

Os móveis estão com seus estofados rasgados e sujos, sendo que há cadeiras e mesas encostados em cantos por não apresentarem as menores condições de uso.

Os GCM’s, diante de estressante jornada e responsáveis na cidade por assegurar a segurança da população, não encontra em sua sede ambiente propicio para que seu estado psicológico esteja bem. Portadores de arma de fogo deveriam ter em sua central momentos mais agradáveis e ambiente mais propício a seu bem estar. O ambiente é pesado o que pode não ser saudável para a efetiva segurança do munícipes e dos próprios GCM’s.

Recentemente, o lado externo do prédio passou por pintura e cobertura com cimento em buracos e rachaduras numa verdadeira operação de “melhoria de fachada”.

Mobília e estrutura

Cadeiras rasgadas e paredes sujas compõem o ambiente dos Guardas Municipais de Ribeirão Ribes em sua Sede

Com vestuários com aparência suja, armários enferrujados e quebrados, os guardas convivem com a situação desde que mudaram para o atual endereço onde em 2012 a Polícia Militar deixou por não haver habitabilidade.

O refeitório ofertado não apresenta condições dignas, com aspecto insalubre, de falta de higiene e sanidade.

As baixas remunerações, impõem aos Guardas a necessidade de complementação de suas rendas através de jornada extra obrigando-os muitas vezes, em seus dias de folga a saírem de madruga ou tarde da noite  para a realização de “bicos”.

Acompanhe abaixo algumas imagens

Armários enferrujados com o piso necessitando de troca apresenta desgaste e aspecto de sujeira

Parede com bloco e tijolo demonstram o descaso com a GCM e o patrimônio público

Equipamento de viatura pendurado

Fios amostra em viatura podem gerar curto circuito e incêndio

Fiação condutora de energia a mostra apresenta improviso e gambiarra

Piso quebrado necessitando ser trocado

Fiação elétrica exposta e caixa de disjuntores aberta pode apresentar risco

Deixe uma resposta