Governo Kiko Teixeira: Ações, reações e o precioso tempo até as eleições

No meio político é normal que quem atravessa situação desfavorável tente criar uma ruim também aos opositores. Ultimamente é o que tem feito o prefeito de Ribeirão Pires, Kiko Teixeira (PSB) e o seu vice, Gabriel Roncon (PTB) ao ecoarem Fake News, onde a tropa de choque – de maneira orquestrada – composta por comissionados bem remunerados tomam as redes sociais em pleno horário de expediente para defenderem seus interesses pessoais e de seus chefes.

Os atos e ações não passam de meras cortinas de fumaça na tentativa de jogar para debaixo do tapete, por exemplo; os dados do Cadastro Nacional de Condenações Cíveis por Ato de Improbidade Administrativa e Inelegibilidade do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), onde o nome do prefeito da Estância é relacionado entre Fichas Sujas devendo ficar inelegível pelo período de 26/09/2018 até 26/09/2023. (Ver aqui).

Como a maior rejeição entre os principais pré-candidatos ao Paço, em recente levantamento, figurou na 3ª colocação nas intenções de voto. Mas estes números não são de causar estranheza para quem conhece Ribeirão Pires e vive em seu dia-a-dia em função da maneira em que e comandada a cidade. (Ver aqui).

Asfalto farelo em rua, buracos em importantes vias, falta de medicação nos postos de saúde, ocultação de lista de espera para castração de animais, farra com dinheiro público para reforma de seu gabinete, aumento de 100% nos casos de sarampo na cidade (entre as 10 cidades com mais casos no estado), jogar no lixo obras de arte integrante do patrimônio público municipal, escândalo na saúde sendo investigado por CPI estadual, retirar extintores de escolas para conseguir laudo dos Bombeiros… são alguns poucos exemplos.

Em plena campanha de Sarampo, unidade de saúde não tem técnico para aplicar vacina (ver aqui), a mais importante festividade da Estância sofre ameaça de ser cancelada pela justiça (ver aqui).

Em ato desesperado e apego pelo poder, Kiko Teixeira lança sobre sua esposa os holofotes da máquina com vista a 2020.

Tudo o que Kiko quer é continuar lactando em tetas gordas do estado! E claro, esconder de todos a ação – a qual recorre – por suposto desvio de R$ 45.000.000,00 (quarenta e cinco milhões de reais) em período em que foi prefeito de Rio Grande da Serra.

Deixe uma resposta