Rubão mente sobre afirmação de ter pego Câmara com “rombo financeiro” e esconde farra de sua gestão

O ex-presidente da Câmara, vereador Rubão Fernandes (PSD) foi protagonista de um vergonhoso pronunciamento. Segundo Rubão disse: “ao assumir a presidência da Câmara, tive que pagar dívidas de R$ 150 mil” deixa deixadas por seu antecessor, o vereador José Nelson de Barros.

A afirmação de Rubão não procede e não condiz com a verdade. Segundo o Portal da Transparência da Câmara Municipal de Ribeirão Pires, em documento datado de 30 de janeiro de 2017, que vai assinado pelo próprio Rubão, ao final de 2017, é atestado que seu antecessor na comando da Casa deixou total de disponibilidade no valor de R$ 26.160,26. Um caso ocorrido e que foi utilizado como forma de indução ao erro por Rubão Fernandes é que ao final do ano de 2016 – último ano da gestão de José Nelson de Barros – o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE) orientou a Câmara Municipal a reduzir os números de assessores por gabinete, devendo sair de três assessores para dois.

Assista ao vídeo

Uma vez que salários e remunerações de servidores consta em previsão orçamentária e de haver proibição de antecipação salarial de servidores, optou-se por fazer os pagamentos no mês seguinte (janeiro de 2017), ao qual Rubão, já investido como novo presidente deveria fazê-lo. Ver o documento oficial abaixo.

Rubão ainda em seu pronunciamento, fez uma grave acusação a seu antecessor de comando do Legislativo:

“Quantas vezes você trocou o óleo do câmbio do seu carro? Quantas vezes? Eu nunca troquei! Aqui de dois em dois meses trocavam! Pra onde tá indo o dinheiro? Então é difícil, eu sei o que tá acontecendo! Mas eu quero questionar, eu tenho que vim aqui pra trabalhar e mostrar a realidade, a realidade que acontece aqui na nossa situação. As pessoas que pegam a coisa tem que saber administrar o bem público”

Não faltou óleo de peroba

Nota de empenho rasurada por ex-secretário geral da Casa alegando equívoco

A denúncia feita por Rubão é das mais graves e merece toda a atenção dos demais vereadores e do Ministério Público que tem por dever de ofício, dentre outras coisas; de fiscalizar a utilização de recursos e bens públicos.

Em 31 de julho de 2017, com Rubão então presidente da Câmara Municipal, o Repórter ABC publicou matéria jornalistica, intitulada “Câmara de Ribeirão compra litro de gasolina por R$ 4,75. Não faltou óleo de peroba” (clique aqui para ler) onde através de documento – Nota de Empenho de Despenha – onde se verificou através de registro fotográfico que a gestão de Rubão pagava valor maior ao que era praticado, sendo que o Posto de Combustíveis vendia a gasolina comum a R$ 3,699 e R$ 3,899 para o mesmo combustível aditivado. (Ver aqui).

A denúncia apresentada pelo Repórter ABC ganhou grande repercussão sendo noticiada por veículos de comunicação local e da região do ABC Paulista.

O secretário Geral da época, dirigiu-se as redes sociais e ao Whatsapp do Repórter ABC e emitiu nota reconhecendo a existência da fonte utilizada por este veículo, porém alegando “um erro de vínculo na planilha de controle”.

Na comunicação (sem revisão ortográfica), foi afirmado pelo ex-secretário que a “a informação passa a não ter veracidade uma vez que estamos esclarecendo e pedido desculpas pelo equívoco do lançamento no portal. Já chamei atencao dos responsáveis para que isso não ocorra novamente“, disse em trecho. Ver matéria e a íntegra da nota clicando aqui.

Hoje, 23 de maio de 2019 ao produzir este texto jornalístico e checando as falas do vereador Rubão Fernandes, verificando documentos oficiais, foi contatado de que Rubão omitiu fatos de sua administração obscura e duvidosa. Pode-se contatar de que a matéria que o Repórter ABC apresentou sobre a compra de combustível por mais de R$ 4,75 era verídica e procedente e ainda foi confirmado que nenhuma alteração foi feita conforme segue abaixo a “Movimentação de Empenho referente ao período de 05/07/2017 à 05/07/2017”.

Recentemente, Rubão foi acusado ter feito possível acordo com empresário que o favoreceu na sua eleição para a presidência da Câmara em debate acalorado recentemente na Casa de Leis pediu para ser investigado. As denúncias apresentadas por Rubão e também o caso da compra de combustível em sua gestão merecem atenção especial para o bem da população.

Deixe uma resposta