Professores do ABC paralisam atividades contra a reforma da previdência

As sete cidades do ABC Paulista amanheceu nesta quarta-feira sem aulas. Na região, professores e demais profissionais da Educação cruzaram os braços em protesto contra a reforma da previdência proposta pelo governo do presidente Jair Bolsonaro. O ato é uma preparação para uma greve nacional prevista para o dia 14 de julho.

Nas redes sociais, o Sindicato dos Professores de Ribeirão Pires publicou a seguinte nota:

“Acerca da Paralisação Nacional dos Trabalhadores na Educação, prevista para amanhã ( 15/05/19), informamos que o ponto de encontro será no MASP às 14 hs. Estaremos com o estandarte do Sineduc e próximos à bandeira do SIPROEM ( Sindicato dos Professores). Enviamos ofício à Sra Secretaria de Educação discorrendo sobre a gravidade das medidas tomadas por Bolsonaro, que impactarão não só aos trabalhadores como também à Prefeitura que terá severo corte em seu orçamento, particularmente do Fundeb e solicitamos que autorize o posterior pagamento ou compensação do dia aos que Paralisarem as atividades. Ainda não obtivemos resposta, mas entendemos que a gravidade da situação que colocará em risco até mesmo nossos salários supera a situação da perda de um dia de trabalho. Aos que pretendem aderir, solicitamos que informem à direção da escola para que esta possa informar aos pais. Como se trata de um movimento paredista de apenas 01 dia, se descontado será apenas uma falta comum”.

Deixe uma resposta