Rato até tentou democratizar, mas Amigão D’orto negou a cerejinha do bolo

O novo presidente da Câmara de Ribeirão Pires, Rato Teixeira (PTB) até que tentou agradar a totalidade dos vereadores com a elaboração de uma singela listinha contemplando todas as agremiações representadas na Casa de Leis.

Segundo nos afirmou o mandatário, “a consulta foi feita”, tentei atender a todos, contemplei sem exceção todos os partidos representados na Câmara, mas cabe a cada um aceitar se participa ou não das Comissões”.

O vereador Amigão D’orto (PTC), autor do “Banco de Ideias” que visa colher junto a população indicações legislativas e ações, declinou em aceitar a sua nomeação como membro da Comissão de Legislação Participativa para os anos de 2019 e 2020. Participar de uma das cinco Comissões da Câmara dá autonomia e poderes ao seu integrante uma vez que as Comissões emitem pareceres técnicos sobre as matérias específicas, podem convocar secretários, organizar audiências públicas dentre outras prerrogativas.

Esse negativa por parte do vereador praticamente paralisa ações iniciadas. Chega a ser estranho que recentemente Amigão D’orto chegou a propor um Projeto de Lei que cobra do executivo informações sobre obras paradas. Sabemos que vereador não realiza obra, entre suas atividades está legislar, fiscalizar, fazer política. Sera que temos diante de nossos olhos um grande cemitério de ações paralisadas?

Suas ações são muitas! Pelo menos no papel, mas quais os efeitos práticos além de dia disso, dia daquilo, da fotinho na rede social?

Claro que é preciso cobrar, mas onde está a colaboração do parlamentar, nenhuma emenda, nenhum recurso, nenhum projeto vindo de outras esferas de poder. Tudo o que vemos é um tremendo pula-pula registrado em fotos, hora com grupo A, hora com grupo B. Momento com politico de lá, momento com político de cá num tremendo foguetório com vistas a ganhar notoriedade para 2020. Afinal ele é o primeiro e único político na Estância que afirmou não disputar para o mesmo cargo e que é candidato a prefeito. Assim fica difícil pensar no novo com tanta atitude velha e desconexa!

Ainda que estejamos descontentes com o parlamento municipal, para quem conhece aquela Casa, sabe que muitos ali atuam em busca de recursos financeiros e equipamentos para a saúde, emendas para o asfalto, itens para o esporte e outros diversos setores. Cobrar é um direito, mas também é mais do que necessária ofertar a sua parcela de contribuição.

O Repórter ABC é o veículo de comunicação que mais reportou sobre o vereador Amigão D’orto, nesse tempo podemos afirmar com segurança que as ações são meras catapultas publicitárias com objetivos maiores e pessoais. A ele não interessa a cereja, e sim o bolo todo. Luís Carlos Nunes

Deixe uma resposta