Ribeirão Pires recebe exposição “A Arte Negra na Cultura Brasileira”

Com entrada gratuita, obras estão expostas no saguão do Anfiteatro Arquimedes Ribeiro até 19 de setembro, em Ribeirão Pires, de segunda a sexta, das 8h às 17h

Obra O Menino e a Bandeira, de Elifas Andreato, é uma das peças da exposição A Arte Negra na Cultura Brasileira

Até o dia 19 de setembro, a Estância Turística de Ribeirão Pires sedia a exposição itinerante “A Arte Negra na Cultura Brasileira”, com obras do artista plástico Elifas Andreato. A mostra, que tem entrada gratuita, acontece no saguão do Anfiteatro Arquimedes Ribeiro, localizado no Centro Cultural (Rua Dr. Yutaka Ishihara, 220 – Jardim Pastoril, de seg. a sex., das 8h às 17h).

A exposição é realizada por meio de parceria entre o Consórcio Intermunicipal Grande ABC, por articulação do Grupo de Trabalho (GT) Igualdade Racial, e a Secretaria de Participação, Acessibilidade e Inclusão Social da Prefeitura, sob organização da Assessoria de Cultura para Gêneros e Etnias, vinculada à Secretaria Estadual da Cultura.

As obras de Elifas Andreato já passaram pelas cidades de São Caetano do Sul, Mauá, Santo André, São Bernardo e Rio Grande da Serra. A exposição, com curadoria do próprio artista e de seu filho, Bento Andreato, traz diversas peças importantes como “Menino e Bandeira”, obra icônica do autor, além de sua visão de personagens importantes da cultura nacional, como Adoniran Barboza, Clementina de Jesus, Cartola, Martinha da Vila, entre outros.

Sobre o artista – Nascido em Rolândia, no Paraná, em 1946, Elifas Andreato é artista gráfico, cenógrafo e jornalista. Possui em seu currículo mais de 50 anos de carreira em que acumula diversas obras como capas de discos de grandes nomes da música popular brasileira, com destaque para Chico Buarque (Ópera do Malandro, Almanaque e Vida), Vinicius de Moraes e Toquinho (Arca de Noé 1 e 2, Um Pouco de Ilusão), Toquinho (Aquarela, Casa de Brinquedo), Clara Nunes, e muitos outros. Também produziu mais de 400 trabalhos de criação em revistas. Em 2011, recebeu o Prêmio Especial Vladimir Herzog, em reconhecimento à defesa dos direitos humanos e dos valores éticos e democráticos.

Deixe uma resposta