PT de Rio Grande expulsa vereador Marcelo Cabeleireiro

O Partido dos Trabalhadores (PT) de Rio Grande da Serra, através de Nota Oficial datada de 18 de agosto de 2018, comunica que o vereador Marcelo Cabeleireiro não faz mais parte dos quadros do partido.

Segundo a Nota, “A executiva Municipal decidiu continuar processo disciplinar movido na Comissão de Ética do Partido, e as constantes negativas em seguir as orientações partidárias, o Partido dos Trabalhadores resolveu expulsar o vereador Marcelo Alves da Silva (Marcelo Cabeleireiro que contrariou a orientação do Líder da Bancada e do Partido dos Trabalhadores de ser oposição ao governo do prefeito Maranhão”, diz a nota oficial.

Mais adiante, o documento assinado pelo presidente da agremiação na cidade, José Allmeida Freire, diz:

“A Comissão Municipal através desta nota também leva a público que qualquer filiado ou filiada que apoiar candidatura que não seja do Partido dos Trabalhadores também será expulso (a)”.

O Repórter ABC entrou em contato com o vereador Marcelo Cabeleireiro que alegou não ter sido comunicado do fato.

“Estou acabando de sair da missa e não estou sabendo desta notícia. Estou sendo pego de surpresa. Mas se isso for verdade, estão agindo de maneira totalmente errada. Desde que assumi o meu mandato eleito com 395 votos, não fui chamado para reuniões. Vejo que emendas estão sendo mandadas por parlamentares do partido e eles nunca me comunicam de nada. Estou sendo tratado como um verdadeiro párea, um tremendo desrespeito. Vou recorrer pois infelizmente o candidato do meu partido não foi eleito e como vereador tenho que estar sempre ao lado do povo. Esse é um caso claro de que a conflito ideológico, querem fazer de um mandato popular uma máquina de ódio onde mesmo que uma proposta seja em favor do povo, não deve ser apoiada”, disse o vereador Marcelo.

Claudinho da Geladeira, é outro político que pode estar na mira do PT. Ultimamente Claudinho da Geladeira é visto circulando pela região declarando e pedindo votos para um candidato de outra sigla.

Deixe uma resposta