“Mensalão foi soluço na história do Supremo”

Quem diz é o jurista Celso Bandeira de Mello, responsável pela indicação de Carlos Ayres Britto ao STF; ele afirma que, nos próximos casos, a suprema corte não permitirá a mesma “flexibilização de provas”
O renomado jurista Celso Antônio Bandeira de Mello acredita que o julgamento do chamado ‘mensalão’ foi um “solução na história do Supremo Tribunal Federal”. Segundo ele, que indicou ao tribunal o ministro Carlos Ayres Britto, quem diz considerar “um irmão”, houve forte influência do que chamou de “opinião publicada”, além de transgressão de garantias básicas. A Corte Suprema do País, acredita ele, não irá repetir nos próximos casos a “flexibilização de provas” cometida na Ação Penal 470.

Especialista em Direito Administrativo, Bandeira de Mello defende, numa entrevista concedida ao portal Última Instância, hospedado pelo UOL, que “o juiz devia ser proibido de dar entrevistas”. Em seu ponto de vista, a postura de Joaquim Barbosa como relator do processo foi “muito agressiva”, sem a “serenidade que se espera de um juiz”. Ele também acha que o novo presidente do STF “tinha que ter uma atitude de maior urbanidade em relação aos colegas”. Já o revisor do processo, Ricardo Lewandowski, considera um “príncipe”, digno de uma “educação e uma finura monumental”.

Deixe uma resposta